Coronavírus

Covid-19: UFG possui mais de 60 pesquisas contra o vírus

De acordo com o Pró-reitor de Pesquisa e Inovação da UFG, a pandemia colocou a ciência em evidência e aumentou o reconhecimento perante o público

diario da manha
Foto ilustrativa: Pixabay

A Universidade Federal de Goiás (UFG) soma mais de 60 pesquisas relacionadas à Covid-19 em busca de medicamentos, protocolos seguros e diminuição da mortalidade e impactos emocionais.

De acordo com o Pró-reitor de Pesquisa e Inovação da UFG, Jesiel Carvalho, a urgência por respostas e soluções efetivas colocou a ciência em evidência e aumentou o reconhecimento perante o público. No entanto, o investimento não cresceu na mesma proporção.

“Na verdade o que vemos no Brasil é uma redução muito grande de investimento em pesquisa científica e tecnológica nos últimos anos, por exemplo, considerando apenas as agências federais, se compararmos o que é investido hoje com os valores de uma década atrás, constamos uma redução superior a 50% nos valores aplicados a ciência e tecnologia. Uma tendência que não foi alterada pelo advento da pandemia, isso é muito sério, pois compromete o futuro do país, limita nossa capacidade de desenvolvimento tecnológico, econômico e social, explica Carvalho.

Segundo o pró-reitor, há liberdade na definição dos temas e isso é importante, pois permite inovações temática e metodológicas que são fundamentais para o avanço do conhecimento. Após o tema há o cadastro e a aprovação é feita pelo Conselho Diretor de cada Instituto ou Faculdade.

“Os recursos para a pesquisa são provenientes de fomento federais, como o CNPq e a Finep, estaduais, como a Fapeg, ou mesmo estrangeiras. Pode vir também de empresas ou organismos governamentais, especialmente quando se trata de projetos aplicados à solução de problemas específicos desses agentes”, afirma Carvalho.

Leia também:

Comentários