Cotidiano

Bem-estar através da música

diario da manha

Presença de um especialista em música pode ofertar benefícios para o corpo, mente e ainda melhorar a vida social

Bem-estar pessoal, redução da ansiedade e estresse, melhor controle do tônus postural e muscular, melhora na respiração e nos relacionamentos interpessoais são apenas alguns dos benefícios proporcionados pela musicoterapia. Uma atividade indicada para todas as idades e que provoca efeitos significativos em quem pratica.

A educadora musical e musicoterapeuta Wheide de Mello Andrade explica o que é a atividade, segundo a Federação Mundial de Musicoterapia. “Musicoterapia é a utilização da música e/ou seus elementos (som, ritmo, melodia e harmonia) por um musicoterapeuta qualificado (ou seja, profissionais graduados e/ou pós-graduados em musicoterapia) com um cliente/paciente individual ou grupo, em um processo para facilitar e promover a comunicação, relação, aprendizagem, mobilização, expressão, organização e outros objetivos terapêuticos relevantes, no sentido de alcançar necessidades físicas, emocionais, mentais, sociais e cognitivas”.

De acordo com Wheide, a terapia é indicada ou aplicada desde a gestação até a velhice, com pacientes em coma, crianças com déficit de atenção e hiperatividade, na depressão e outras doenças.

O profissional que atua na área pode ser também indicado em escolas, instituições públicas e privadas de saúde física e mental, clínicas geriátricas e de dependência química, centros de convivência para idosos, hospitais, consultórios e clínicas particulares e na área de recursos humanos de empresas.

Apesar de ser indicado em diversas ocasiões, a atividade da musicoterapia possui contraindicações. A musicoterapeuta explica que para quem tem epilepsia musicogênica, a música é fator-estímulo desencadeante dos ataques dessa rara doença e que, devido a isso, é contraindicada para esses pacientes.

 

Benefícios

Aos 67 anos, Zulmira Gomes Cintra Chagas participa de um grupo de musicoterapia composto por diversas idosas e ministrado pela Wheide.

Ela explica as mudanças que a roda de canto (uma das atividades da musicoterapia) provocou em sua vida. “É uma maravilha. A gente chega triste e sai maravilhado. Às vezes a gente  chora, às vezes a gente ri. A gente se solta, abre o coração”, diz.

Zulmira participa da atividade há sete anos, mas explica que já participava de outras aulas, como ginástica, dança e dança sagrada antes de entrar na musicoterapia. Ela diz que fazia dança cigana, porém estava saturada da aula, momento em que a moça da secretaria do Centro Livre de Artes (onde as aulas ocorrem) sugeriu que ela entrasse no grupo de musicoterapia. “Comecei e nunca mais parei”.

A idosa afirma que, durante as aulas, todas cantam musicas relacionadas às histórias de vida delas, e concede elogios à professora. “A Wheide é carinhosa, maravilhosa. Ela se preocupa com todas (as alunas). É uma pessoa fantástica. As aulas dela são maravilhosas. Eu amo a Wheide”, conclui.

 

Mudança de Vida

A paulista de nascença, mas moradora de Goiânia há 30 anos, Dolores Marton, também participa do grupo de musicoterapia. Ela explica que estava passando pelo Bosque dos Buritis, viu um aviso na frente informando sobre as aulas e resolveu participar.

Os primeiros dias teve medo e as outras alunas a ajudaram, mas após oito anos do início das aulas, ela afirma que não quer sair mais de lá. “Elas são amigas da gente. Eu amo aquela escola, aquelas professoras. Elas nos acompanham e não nos forçam a fazer nada que não podemos fazer. Eu acredito que elas nos amam”, diz. Aos 81 anos, Dolores explica que é uma pessoa alegre, que canta e dança. Ela afirma que tem problema de queda de pressão, mas que se acontece algo, as outras alunas a auxilia, lhe entregando chocolate, por exemplo. “Elas (as professoras) nos conduzem com mão carinhosa a nossa superação, melhora íntima, faz com que tenhamos autoestima. Elas nos chamam de meninas”, diz, com orgulho, desse elogio.

A participante concede só elogios ao local e à equipe, dizendo que as professoras emprestam um pouco de juventude às alunas. “Elas estão fazendo com que a gente se sinta junto das coisas. Encontrei um mundo. A gente pensava que idosa não tinha vida. Aprendi que tenho direito de ser feliz”, conclui.

BENEFÍCIOS DA MUSICOTERAPIA

Musicoterapia não é aula de música. Sua ação é diferente e mais profunda

 

  • Bem-estar pessoal
  • Redução da ansiedade
  • Redução de estresse
  • Autoconhecimento
  • Estabilidade emocional
  • Melhora na respiração
  • Melhora nos relacionamentos interpessoais
  • Melhor controle do tônus postural e muscular

 

  • Desenvolvimento neuropsicomotor
  • Desenvolvimento cognitivo
  • Redução de espasmos
  • Relaxamento emocional e muscular
  • Desenvolvimento social e escolar
  • Aumento da concentração
  • Possibilidade de extravasão

 

 

Comentários

Mais de Cotidiano