Ativista deixa cargo em ONG após ser desmascarada pelos pais

diario da manha
Foto: Reprodução

A ativista Rachel Dolezal, que segundo seus pais se apresentava como negra sem ter origem africana, renunciou nesta segunda-feira, 15, ao seu cargo de presidente da  “Associação Nacional pelo Avanço das Pessoas de Cor” (NAACP) em Spokane, de acordo com o site G1.

Conhecida pelo seu ativismo em favor da igualdade racial e dos direitos dos negros americanos, Dolezal anunciou sua renúncia na página do facebook da NAACP.

Na semana passada, seus pais disseram à imprensa que sua filha passou a se “disfarçar” de negra quando eles adotaram quatro afro-americanos e que a ativista é branca com traços de herança de um americano nativo.

De acordo com o jornal “Spokesman-Review”, ela teria se apresentado como uma mistura de branca, negra e índia americana na ficha cadastral que preencheu para trabalhar na comissão de ouvidoria do cidadão da polícia, em janeiro.

A NAACP apoiou a ativista em um comunicado e na sexta-feira a polícia local disse que suspenderia as investigações sobre denúncias de assédio racial apresentadas por Dolezal.

Comentários