Cotidiano

Garotas baleadas em atentado no Colégio Goyases seguem internadas no Hugo

diario da manha

Foto:Reprodução

O Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo) divulgou na manhã deste sábado, 28, um novo boletim médico sobre o estado de saúde das duas alunas que ainda permanecem internadas na unidade, que foram vítimas do atentado na Escola Goyases, no último dia 20, que matou dois estudantes e feriu quatro.

Segundo o hospital, Marcela Macedo, de 14 anos, segue internada na enfermaria, está consciente, respira de forma espontânea, sem febre e sem se queixar de dores para a equipe de assistência.

A paciente passou por cirurgia na sexta-feira, 27, para reposicionar um dreno torácico e de acordo com o Hugo, o procedimento “ocorreu sem intercorrências”.

Já a outra adolescente, Isadora de Morais, também de 14 anos, continua internada em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e tem quadro regular de saúde.

Ela foi o caso mais grave da tragédia e os médicos constaram que ela ficou paraplégica após ter uma das vértebras atingidas por um dos tiros.

Foto:Reprodução/Facebook

No boletim, o hospital informou que ela está consciente e respirando de forma espontânea, mas com auxílio de oxigênio. Isadora passou por cirurgia no pulmão na última quinta-feira, 26, com objetivo de ‘acelerar a melhora clínica da parte pulmonar’, segundo a unidade de saúde.

Terror

O adolescente de 14 anos, que atirou contra os colegas dentro da sala de aula da escola em que estudava disse em depoimento que era vítima de bullying no colégio e que se inspirou nos ataques de Columbine, em 1999, nos Estados Unidos e no de Realengo, em 2011, no Rio de Janeiro, para praticar o ato infracional.

O garoto contou à polícia que sua intenção era matar apenas o colega que seria autor do bullying, mas que, no momento do atentado, sentiu vontade de fazer mais vítimas.

Foto:Reprodução

Comentários

Mais de Cotidiano

3 de julho de 2019 as 15:11

Morre Wágner Nasser