Cotidiano

Comissão de ética investiga presidente da EBC por ironizar Taís Araújo sobre racismo

diario da manha

A Comissão de Ética Pública da Presidência pediu nesta segunda-feira (27/11) processo contra o presidente da EBC, Laerte Rimoli, por compartilhar postagens nas redes sociais ironizando declaração dada por Taís Araújo sobre o quanto temia pelo futuro do seu filho, já que, segundo ela, “a cor do meu filho faz com que as pessoas mudem de calçada”.

“A comissão examinou a partir de uma denúncia apresentada as supostas postagens em redes sociais feitas pelo presidente da EBC. São publicações que dizem respeito – em tom jocoso – a uma entrevista da atriz Taís Araújo, narrando vicissitudes que ela e sua família atravessam”, afirmou o presidente da Comissão Mauro Menezes.

Para o presidente da Comissão, mesmo que as postagens tenham ocorrido fora das atividades elas podem terminar por afetar a imagem da administração pública. “Sem fazer juízo antecipado, abrimos procedimento para investigar a sua conduta e ele terá dez dias para prestar esclarecimentos”, explicou. O prazo começa a contar nesta terça.

Trabalhadores da Empresa Brasil de Comunicação (EBC) divulgaram nota em repúdio ao presidente da estatal. “Uma manifestação de racismo de um gestor de uma entidade pública, que tem a missão de justamente promover os direitos humanos e a diversidade em nossa sociedade, é algo inadmissível. Racistas não passarão”, diz parte do documento endossado pelos sindicatos dos jornalistas de São Paulo, Rio de Janeiro e do Distrito Federal.

Recentemente o jornalista William Waack foi afastado da Globo após comentários racistas vazarem em vídeo. Depois de repercussão negativa, Laerte apagou os posts e pediu desculpas à atriz Taís Araújo e sua família. (Foto: Agência Brasil)

Comentários