Cotidiano

Netos adotados de Edir Macedo fazem crítica a documentário que acusa a Igreja Universal de tráfico de crianças

diario da manha

Após a exibição do primeiro episódio do documentário “O segredo dos Deuses”, produzido pela emissora portuguesa TVI, os filhos de Viviane Freitas, e netos de Edir Macedo, Louis Carlos de Andrade e Vera de Andrade se pronunciaram sobre o assunto. A produção acusa a Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) de manter uma rede de tráfico ilegal de crianças nos anos 90, inclusive afirma que os dois foram adotados ilegalmente por meio do esquema.

Por meio de vídeo publicado no Youtube, eles disseram que a reportagem não se baseou em fatos verdadeiros. “A TVI está dizendo coisas ao nosso respeito que não são verdadeiras. Estão dizendo que nós fomos raptados pela cúpula da Igreja Universal, mas nós não fomos raptados”, comentou Louis.

Em outro trecho falou que eles foram adotados de forma legal por uma família norte-americana e informou que viveram até os 20 anos com os familiares.

“Fomos acolhidos por uma família que nos ama e vivemos muito bem com eles. Queremos dizer à TVI que não é justo, de forma nenhuma, o que eles estão fazendo conosco. E queremos o direito de resposta a vocês”, completou o rapaz.

Vera começa sua participação no vídeo dizendo que as três entidades responsáveis por adoção de crianças, a Santa Casa de Misericórdia, o Tribunal de Família de Lisboa e a Segurança Social, autorização o processo de adoção dos irmãos.

Ela criticou à reportagem ao comentar que as produtoras fizeram uma abordagem sem consultar os três os órgãos. Afirmou que a criação do documentário fez com que a emissora perdesse a credibilidade. Além disso, disse que vai exigir os direitos já que sente-se lesada.

Por fim ela proíbe a citação do nome e da imagem dela e de seu irmão na reportagem.

Ministério Público 

Após a denúncia do documentário, o Ministério Público de Portugal abriu um inquérito para apurar a ligação da IURD com a suposta rede de adoção ilegal de crianças. De acordo com o jornal português O Público, a Igreja Universal alega que “toda a matéria que a TVI pretende veicular assenta no relato e colaboração de Alfredo Paulo Filho” que teria sido afastado da instituição em 2013 por “condutas impróprias”.

Assista ao vídeo:

Comentários

Mais de Cotidiano