Cotidiano

Preço dos pescados pode variar em mais de 200%, aponta Procon Goiânia

diario da manha

O valor dos pescados na Capital aumentaram com a proximidade da Semana Santa. De acordo com pesquisa divulgada pelo Procon Goiânia, nesta terça-feira (13/03), o preço dos peixes pode variar em mais de 200%.

As maiores diferenças de valor encontradas foram com a venda de caranha e robalo. Segundo o órgão, em alguns estabelecimentos o preço anunciado pelo quilo do primeiro peixe era de R$ 7,89 e em outros, a R$ 26,49, uma diferença de 235,74%. Já o valor do robalo variou entre R$ 26,90 e R$ 69,90 o quilo.

Dentre os pescados que apresentaram uma menor diferença de preço por quilo estavam o badejo que foi encontrado de R$ 42 a R$ 54,90 o quilo. Já o linguado é comercializado entre R$ 30 e R$ 40,69 o quilo.

A coleta de valores foi realizada entre os dias 5 e 10 de março, com 15 tipos de peixes, de água doce e salgada. A pesquisa foi feita em 13 estabelecimentos da Capital, sendo sete supermercados e seis peixarias.

Comparativo com 2017

Ainda de acordo com pesquisa, o bacalhau Saith foi o que teve mais diferenciação de 2017 e 2018. No ano passado, o maior preço do peixe constatado foi de R$ 18,69 o quilo. Já em 2018, o bacalhau foi encontrado a R$ 39,90.

O tucunaré teve redução no preço em até 49,14%, passando de R$ 58 em 2017, para R$ 29,50 – menor preço verificado em 2018.

Se você não quer que o valor dos itens da ceia da Semana Santa pese no seu bolso, o Procon aconselha a efetuar uma pesquisa antes de fazer a compra.

(Foto: Reprodução/TV Tapajós)

Comentários