Cotidiano

Como enfrentar as doenças do inverno

diario da manha

AS DOENÇAS DA TEMPORADA

 

  • Resfriado

Gripes e resfriados têm sinto­mas semelhantes, embora sejam doenças diferentes. O resfriado ge­ralmente dura de quatro a cinco dias, mas pode se prolongar por até duas semanas, causando coriza, obstrução das vias respiratórias, fe­bre baixa, espirros e dor de gargan­ta. O tratamento alivia os sintomas e é feito com analgésicos e antitér­micos. Para prevenir-se, é aconse­lhável lavar bem as mãos e o nariz.

  • Gripe

 

É causada pelo vírus influen­za e, além dos sintomas do res­friado, causa febre alta e abrup­ta, dores no corpo e fadiga. Pode provocar complicações se não for diagnosticada e tratada correta­mente. O tratamento é feito com analgésicos, antitérmicos, repou­so e hidratação. Para prevenir-se é aconselhável lavar bem as mãos e o nariz, evitar aglomerações e to­mar a vacina anual.

  •  Pneumonia

 

Infecção aguda dos pulmões que pode ser causada por bacté­rias, vírus ou fungos. Pode surgir após uma gripe ou crise de bron­quite severas. O tratamento é fei­to com antibióticos. Para prevenir­-se, é aconselhável lavar as mãos com frequência, não fumar e veri­ficar vacinação adequada.

  • Alergias

 

São causadas por reações do organismo a diversos elementos, como pelos de animas, mofo, poei­ra, perfumes etc. Causam inúme­ros sintomas, como espirro, coceira e tosse. O tratamento é específi­co para cada caso e a prevenção pode ser feita mantendo os am­bientes ventilados, limpos e evi­tando o contato com substâncias que podem desencadear alergia.

  • Amidalite

 

Causada por vírus ou bacté­rias, é uma inflamação das amída­las que causa dor de garganta e ao engolir, mau hálito e febre. O trata­mento é feito com anti-inflamató­rios. Para se prevenir, é bom evitar mudanças bruscas de temperatura.

  • Asma

 

Inflamação dos pulmões e vias aéreas. Mais comum em crianças, embora também aco­meta adultos. Os sintomas são chiados no peito, tosse e sensa­ção de falta de ar. O tratamento é feito com broncodilatador e de­ve-se eliminar a poeira domésti­ca para a prevenção da doença.

  • Bronquite

 

Inflamação dos brônquios, o que impede a chegada do ar aos pulmões. Causa tosse seca com chiado seguida de tosse com catarro. O tratamento: uti­lização de vaporizadores, anal­gésicos, descongestionantes nasais e hidratação. Para pre­venir-se da doença, o cigarro deve ser evitado.

  • Otite

 

Causada por vírus ou bacté­rias que infectam a garganta e migram até o ouvido provocan­do dor e febre, é bastante comum em crianças. O tratamento é fei­to com antibióticos e analgési­cos e a prevenção pode ser feita mantendo limpas as vias aéreas.

  • Rinite

 

Causada por irritação ou in­flamação da mucosa do nariz, é uma das doenças alérgicas mais comuns. Causa espirros, coriza, coceira e entupimento do nariz. O tratamento é feito com medi­camentos e vacinas antialérgicas. Para prevenir-se, é aconselhável manter o ambiente limpo.

  • Sinusite

 

É a inflamação dos seios na­sais, que são cavidades no crâ­nio em torno do nariz. Provo­cada por alergias ou infecções por vírus ou bactérias, causa dor de cabeça, pálpebras inchadas, nariz entupido, secreção nasal e dor nos olhos. O tratamento pode ser feito com corticoides, descongestionantes e antibió­ticos no caso de infecção bacte­riana. Para prevenir a sinusite, o descongestionante nasal pode ser usado por um curto período quando há coriza.

Priscila Saleme, médica infectologista: “É importante manter o hábito preventivo de lavar bem as mãos com água e sabão, evitar locais fechados e aglomerados, evitar o contato com gotículas, saliva, espirros ou tosse”(FOTOS: DIVULGAÇÃO)

Com a chegada do frio, as pessoas se concentram em locais fechados, com isso, facilita a transmissão de ví­rus e bactérias que podem oca­sionar algumas doenças. Dentre as mais recorrentes estão a gripe e resfriados, no entanto, há ou­tras enfermidades comuns que podem aparecer neste período.

A médica infectologista Prisci­la Saleme relata que as doenças mais comuns nesta época são: gripe, pneumonia, rinossinusite, bronquite e resfriado. As infecções são contraídas pelo contato dire­to de pessoas infectadas com ou­tras suscetíveis, ou seja, não vaci­nadas. A transmissão pode ser por meio de gotículas de saliva expe­lidas pela tosse, espirro ou fala. “ Para todas essas doenças, mesmo para aquelas que possuem vacina, é importante manter o hábito pre­ventivo de lavar bem as mãos com água e sabão, evitar locais fecha­dos e aglomerados, e evitar o con­tato com gotículas, saliva, espirros ou tosse”, explica.

PREVENÇÃO

As infecções causadas pelo vírus influenza e pela bactéria pneumococo, podem ser preve­nidas através da vacinação. No caso da gripe, a recomendação da Sociedade Brasileira de Imuni­zação (SBim) é que a vacina seja aplicada em todos os públicos, anualmente, a partir dos seis me­ses de idade. Quanto a pneumo­nia, a infectologista diz que a va­cina Pneumocócica 10-valente, que protege contra 10 sorotipos de penumococos, proporciona 70% de proteção e está disponi­bilizada na rede pública de saú­de. Essa vacina deve ser aplicada aos 2, 4 e 6 meses de vida com re­forço entre 12 a 15 meses.

Há também a vacina pneumo­cócica 23 valente, que contém 23 sorotipos do pneumococo que abrange 90% dos principais so­rotipos causadores das doenças pneumocócicas, que, segundo a infectologista Priscila, protege contra pneumonia e infecções respiratórias de repetição. A va­cinação é indicada a partir dos 2 anos e, para adultos, acima de 50 anos, mediante orientação médi­ca e, para demais doenças, Pris­cila menciona que não há vacina como forma de prevenção.

De uma maneira geral, ali­mentação adequada, hidrata­ção, prática de atividade física e uma boa noite de sono são reco­mendadas para fortalecer o cor­po e prevenir as doenças.

 

tags:

Comentários

Mais de Cotidiano

3 de julho de 2019 as 15:11

Morre Wágner Nasser