Cotidiano

A história do maior sino do mundo

diario da manha
Maior sino do mundo que será instalado no novo Santuário do Divino Pai Eterno em Trindade(FOTOS: AFIPE)

Os milhões de devotos do Divino Pai Eterno podem celebrar mais uma etapa da construção da Nova Casa do Pai: o principal sino que ornará a igreja está pronto e em breve será enviado para Trindade (GO). A peça é feita de bronze, composta de 78% de co­bre e 22% de estanho, pesa 55 tone­ladas e é o maior sino no mundo.

O sino mede 4 metros de altu­ra e 4,5 metros de diâmetro e foi fa­bricado na cidade de Cracóvia, na Polônia. Para o presidente da em­presa responsável pelo sino, Jacek Winiarczyk, foi uma honra e um de­safio participar deste projeto.

“Para nossos funcionários foi um projeto de grande interesse. Nunca participamos, até agora, de um projeto tão fantástico e com essa importância em nível mundial. A colaboração que tivemos com o Brasil e com a oficina que traba­lha com bronze foi algo espetacu­lar. E o próprio empreendimento, do ponto de vista técnico, da logís­tica e do próprio trabalho de fundi­ção, foi muito interessante para nós. Não é algo comum e normal, fazer uma peça de 50 toneladas!”, destaca.

No Novo Santuário, o sino fica­rá no campanário, que é uma tor­re que abrigará o “Vox Patris”, como é carinhosamente chamado, que quer dizer “Voz do Pai”, além de 70 outros sinos menores. A concep­ção do sino Vox Patris nasceu du­rante o processo de discernimento sobre quais sinos seriam mais ade­quados para a igreja do Divino Pai Eterno, em Trindade [GO].

“Procuramos sinos que teriam o tamanho necessário e durante a vi­sita que o Pe. Robson fez a Polônia, surgiu, então, a ideia do maior sino de balanço do mundo, o sino Vox Patris. Esse projeto tornou-se um enorme desafio para nós, não ape­nas tecnológico, mas também en­quanto o empreendimento em si. Fizemos diversas simulações e ex­perimentos que nos mostraram que era possível fazer esse trabalho”, afir­ma Jacek Winiarczyk.

De acordo com o presidente­-fundador da Afipe, Pe. Robson de Oliveira, os sinos recordam uma tradição da Igreja desde a era me­dieval. “Os sinos são milenares. Um dos grandes e um dos primei­ros meios de comunicação eram os sinos na idade antiga medieval, pois era uma forma de chamar as pessoas. Eles servem para elevar a nossa alma. Uma cidade que tem uma igreja com sinos é uma cida­de onde as pessoas sempre se lem­bram de Deus”, ressalta.

O SINO

O sino “Vox Patris” é ornamen­tado com ilustrações que contam a história da devoção ao Divino Pai Eterno, desde o início até os dias atuais. Além disso, a ornamenta­ção é composta de desenhos que caracterizam espécies da flora e fauna dos biomas brasileiros. Os adornos foram feitos utilizando uma técnica chamada de “cera perdida”, que consiste num mo­delo de cera revestido com refratá­rio, que é aquecido até a cera der­reter para formar um molde. Com o molde pronto, o próximo passo é derramar metal líquido no espaço vazio para modelar as ilustrações.

Outro destaque do conjunto de sinos que irão compor o Novo Santuário é o chamado “Quarteto Ideal”. Um conjunto de quatro si­nos, cada um ajustado com uma nota musical ideal para compor o carrilhão com os demais sinos. Cada peça do “Quarteto Ideal” re­cebeu o nome de um evangelista: São Marcos, São Mateus, São Lu­cas e São João. A homenagem lem­bra como esses homens foram es­senciais no anúncio do Evangelho, que levou o amor de Jesus a muitos corações. Agora, os sinos com seus nomes anunciarão as bênçãos do Pai Eterno em Trindade.

ANDAMENTO

A nova igreja está sendo cons­truída para ser mais acolhedora e moderna para que os devotos tenham comodidade e seguran­ça ao deixar suas orações a Deus Pai. O local terá área de alimen­tação, banheiros, fraldários e fácil acesso a idosos e pessoas com al­gum tipo de deficiência ou limita­ção consigam transitar com facili­dade, além de outras novidades.

Atualmente, a obra está em fase de execução das fundações de seto­res específicos. “Elas são compos­tas de blocos de concreto armado e estacas do tipo raiz”, explica o enge­nheiro Kléssio Gonçalves. De acor­do com o profissional, a duração desta etapa será em torno de 15 me­ses e o objetivo é que, ao final deste período, as estruturas desses seto­res estejam concluídas e a cons­trução passe para uma nova etapa.

Desde o início, quando foi en­contrado o Medalhão, a capaci­dade de se expandir é uma carac­terística forte dessa devoção. Sua história teve início na humilde casa de Ana Rosa e Constantino Xavier. A fé e o amor desse casal contagiaram os vizinhos que jun­taram forças para construir um lu­gar maior para receber mais pes­soas, a chamada Capelinha.

Anos depois, as notícias de bênçãos e milagres atribuídos ao Divino Pai Eterno se espalha­ram ainda mais e, também com a ajuda dos fiéis, o Santuário Ma­triz foi construído e inaugurado em 1912. Já na década 1970, a his­tória se repetiu e uma nova igreja começou a ser edificada para re­ceber os milhares de devotos que visitavam Trindade. Com a união de forças entre os religiosos, a co­munidade local e romeiros que vinham de cidades vizinhas, a igreja foi construída e se tornou no que atualmente é o Santuá­rio Basílica do Divino Pai Eterno. Hoje, os devotos se unem para construir a Nova Casa do Pai e com muito carinho intercedem para que esta obra se concretize.

 

 

Uma cidade que tem uma igreja com sinos é uma cidade onde as pessoas sempre se lembram de Deus”

Pe. Robson de Oliveira, presidente da Afipe

 

A história do novo sino para o futuro santuário começou em 2010

Maquete do novo Santuário do Divino Pai Eterno em Trindade

 

1–Bênção do Cruzeiro e lançamento da Pedra Fundamental:

Em 2010, o Pe. Robson de Oli­veira fez um anúncio que encheu os corações de todos devotos de alegria: o Divino Pai Eterno ganha­ria uma nova casa. O atual San­tuário Basílica ficou pequeno para os milhares de romeiros que pas­sam por Trindade (GO) todo ano. Por isso, se fez necessário cons­truir uma nova igreja para receber a todos de forma segura e confor­tável. Logo em seguida, o Cruzei­ro foi abençoado e marcou o terre­no onde atualmente a construção está sendo feita. No ano seguinte, na Romaria de Trindade, os devo­tos puderam acompanhar a cele­bração de lançamento da Pedra Fundamental. Foi um momento emocionante que contou com a participação de autoridades po­líticas e eclesiásticas, além dos fi­lhos e filhas do Divino Pai Eterno.

2–Início da obra:

 

Em 2012, as obras começaram e a paisagem do terreno começou a se transformar. Máquinas, ma­teriais de construção, operários e engenheiros movimentam o local em uma grande jornada de traba­lho que se iniciava. Naquele mo­mento, o objetivo era limpar o ter­reno e deixá-lo em perfeito estado para a fase inicial da construção.

O sino “Vox Patris” é ornamentado com ilustrações que contam a história da devoção ao Divino Pai Eterno

3–Inauguração da Capela:

 

No mesmo ano, 2012, durante a Romaria, os devotos do Pai Eter­no puderam presenciar mais um momento especial: a inauguração da Capela, que fica no mirante, ao lado do canteiro de obras. A missa de consagração foi presidida pelo arcebispo metropolitano de Goiâ­nia, Dom Washington Cruz. Na ocasião, ele abençoou as imagens do Divino Pai Eterno, de Nossa Se­nhora do Perpétuo Socorro e de São José Operário, que fazem par­te da Capela. Com este novo local, a construção da Nova Casa do Pai se tornou um lugar de visitação dos romeiros que fazem questão de ir até lá para rezar pela obra e por to­dos os que trabalham nela.

4–Conclusão do subtérreo:

 

O subtérreo foi uma parte es­sencial que levou tempo para ser finalizada. O local vai abrigar o os­sário e o cinerário. É também onde ficam as fundações principais da igreja. O subtérreo foi coberto com uma grande quantidade de cimen­to e, para que esta fase acontecesse, foi preciso utilizar os escoramen­tos, as fôrmas, as armações e pas­sar os cabos de protensão. Além disso, uma central de concreto foi montada no campo de obras para fornecer um material de qualida­de e em menor tempo.

5–Nivelamento do terreno:

 

Após finalizar a etapa do sub­térreo, os operários e engenheiros se concentraram no Nivelamen­to do Terreno. Essa parte também é essencial para a estrutura deste Novo Templo Santo, pois é onde será construída a praça elevada que dará suporte a todo o resto da igreja. O trabalho exigiu mui­tas máquinas pesadas para que tudo fosse feito com segurança e qualidade.

6–Construção dos pilares:

 

Para compor a obra do Novo Santuário centenas de pilares fo­ram construídos e cada um leva um processo de três etapas: a ar­mação, que é como o esqueleto; depois são colocadas as fôrmas em volta; e, para finalizar, é feita a concretagem. Aí, é só aguardar a massa secar e retirar as fôrmas. Os pilares têm várias dimensões e formatos: circulares, quadrados e retangulares. Eles fazem parte do processo de sustentação de toda a obra e também vão ser um ele­mento arquitetônico que dará beleza a nova igreja.

7–Maquete reformulada:

 

Após vários estudos, o proje­to do Novo Santuário passou por reformulações para garantir aos devotos a melhor e a mais segu­ra estrutura. Todos os ajustes fo­ram aprovados pelo Pe. Robson de Oliveira, que ficou muito sa­tisfeito com a reformulação. As mudanças já estão sendo apli­cadas e não prejudicam o traba­lho que já foi feito.

8–Bênçãos dos pilares

 

Em 2017, o Pe. Robson de Oli­veira abençoou e homenageou os pilares, consagrando-os aos san­tos da nossa Igreja. O momento foi muito emocionante e os devotos puderam acompanhar pelas mí­dias sociais e o portal Pai Eterno. O intuito é lembrar que os santos e santas da Igreja são o suporte para a fé de cada um, assim como os pi­lares serão para o Novo Santuário. Em volta do altar haverá 12 pilares especiais redondos dedicados aos Doze Apóstolos de Jesus, pois fo­ram eles os primeiros responsá­veis por levar os ensinamentos de Jesus, por meio da Palavra do Pai Eterno, a todo o mundo.

 

Operários trabalhando na construção do novo Santuário do Divino Pai Eterno

Comentários

Mais de Cotidiano