diario da manha
FOTOS: DIVULGAÇÃO

Na França, Portugal e Itália, os vinhos são extraído da fruta sem adição de açú­car. O vinho produzido lá é seme­lhante ao vinho seco brasileiro.

Na França, há dois tipos de vi­nho: vin rouge (vinho tinto) e vin blanc (vinho branco).

Em Portugal, o vinho verde e vi­nho tinto. O famoso ‘Vinho do Por­to’ é um licor, na verdade.

Os vinhos na Europa não tem adição de açúcar.

Na Itália se produz vinho em todo o país. Lá são cultivadas de­zenas de variedades de uvas, e por isso, há vinhos para todos os gos­tos. São mais de 400 variedades de vinhos. Cada uva produz um vinho com uma determinada cor, com um determinado sabor, com um determinado cheiro.

Vinho da mesma casta significa da mesma variedade.

Merlot é uma casta de uva tinta, fruto da vitis vinifera, a mais comum para se produzir vinho tinto.

Um vinho feito de uva merlot na Itália não é exatamente o mes­mo sabor de um vinho merlot da França, de Portugal ou Chile. Exis­tem fatores que determinam o sa­bor da uva e do vinho: a qualida­de do solo, do clima, do ar.

FRANCESES

A França não é muito rica em variedade de uvas. Na região de Gironda se produz três tipos de uvas: merlot, cabernet sauvig­non e Malbec. As videiras são cultivadas em regiões diferentes, e cada região produz um tipo de vinho. Por isso, no rótulo das gar­rafas de vinho, vem designada a região francesa em que o vinho foi produzido.

BORDEAUX

A Gironda é uma região situa­da no sudoeste do país, na região Nova Aquitânia. Esa região toma seu nome do estuário da Gironda que nasce da confluência do rio Dordonha e do rio Garona na foz de Ambès, próximo à cidade de Bordéus (Bordeaux).

Vinho de Bordeaux é todo e qualquer vinho, tinto ou bran­co, produzido na região de Bor­deaux na França.

R$ 95,90
R$ 103,00
R$ 55,00
R$ 120,00
R$ 90,00
Os vinhos mais apreciados da França são os vinhos Bordeaux,
fabricados na região da Gironda. Essa região só faz o
vinho tinto (vin rouge).
R$ 160,0

Não existe na Europa o chama­do vinho doce. Este é o vinho bra­sileiro, que tem adição de açúcar, o que o desvaloriza do ponto de vista histórico, visto que os vinhos europeus são naturais. No Brasil, vinho tem adição de açúcar para ser comerciável, já que o brasilei­ro gosta de coisas doces.

Portanto, há várias outras re­giões na frança que produzem vinho. Cada uma traz uma pe­culiaridade.

CASTA

Cabernet sauvignon é uma casta de uvas da espécie vitis vinifera a partir da qual é fabri­cado vinho. Originária da re­gião de Bordeaux, no sudoeste da França, ela é a uva vinífera mais difundida no mundo, en­contrando-se em todas as zonas temperadas e quentes. É conhe­cida como “a rainha das uvas tintas”. Saint Estèphe é uma ci­dade francesa onde se produz os melhores vinhos Bordeaux, da região da Gironda.

Na França, os vinhos de tipos de uvas diferentes são misturados, porque a região francesa não pro­duz grande variedade de uvas. São os chamados assemblage.

SAFRA

Safra é o ano em que ocorreu a colheita da uva que foi utilizada para a produção do vinho. O ano que está estampado no rótulo da garrafa.

Ela é importante porque diz respeito a uma série de fatores que contribuíram ou não para a colheita de uma uva perfeita para a fabricação do vinho.

Com isto, uma safra de um ano que apresentou condições climá­ticas ideais ou perto disto pode originar vinhos de qualidade su­perior do que uma safra que en­frentou problemas, como por exemplo o excesso de chuvas.

Por isso, observar as safras dos vinhos pode ser extremamente im­portante para apreciar a bebida.

Devido às variações climáti­cas a safra de uma uva pode ser melhor ou pior.

É por isso que as safras são va­lorizadas. Não é o tempo em que o vinho fica envelhecido que defi­ne sua qualidade. Um whisky sim. Quanto mais tempo uma bebida destilada fica envelhecendo num barril de carvalho, melhor ela fica.

COMO O VINHO É FABRICADO

O vinho basicamente é produ­zido da seguinte forma: a casca da uva é meio branquinha porque está coberta de bactérias. Quan­do a uva é esmagada, ela começa a fermentar por causa das bacté­rias da própria fruta.

É por isso que a uva é espremi­da com os pés, para não perder a qualidade. O caldo da uva é depo­sitado num barril de madeira, de preferência de carvalho, e é dei­xado lá. A bactéria vai fazer o vi­nho, fermentando-o, e a madeira vai extrair o açúcar. Isso explica o inchaço que o barril incha.

Normalmente o vinho fica dois anos em barris de 200 litros. O barril fica na horizontal de modo que após dois anos a borra desce, abre-se a torneirinha e o vinho sai, pronto para beber.

Modernamente, os fabricantes fazem mais uma filtragem, colo­cam uns conservantes e dentro da garrafa, ele continua envelhecendo.

É por isso que as pessoas que entendem de vinho aconselham a deixar a garrafa em uma posição mais ou menos horizontal, num lugar frio para continuar o proces­so de envelhecimento.

Entretanto, um vinho com dois anos de envelhecimento já está pronto, pois envelhecido neste pe­ríodo, poderá ser consumido.

Depois disso, tira-se o vinho do barril e ele vai para o engarra­famento industrial. Por tradição, as garrafas de vinho são embala­das em caixas de madeira e vão da usina para o mundo.

Basicamente o vinho é feito as­sim. Entretanto, entra o segredo de cada fabricante, alguns deles passados por gerações.

PREÇO DOS VINHOS FRANCESES

Uma mesma marca pode ter preços diferentes, dependendo do tipo de vinho anunciado no rótu­lo, por causa da variedade, safra, quantidade de vinho engarrafa­do e outros fatores.

A boa notícia é que há preços de vinhos europeus para todos os bolsos.

BERGERAC

Bergerac é outra região fran­cesa situada no departamento da Dordonha e da região da Nova Aquitânia. Esse vinhos trazem no rótulo a inscrição: Bergerac.

NORMANDIE

Normandia (Normandie) é uma região administrativa francesa, loca­lizada no noroeste da França. Essa não é um vinho muito apreciado.

CHAMPAGNE

A região de Champagne, situa­da a nordeste da França, onde se produz uvas brancas, possui uma espécie de bactéria na própria cas­ca que ao fermentar a uva ela pro­duz um gás carbônico que faz o vinho ser espumante. Apenas os vinhos fabricados na região de Champagne podem ser chama­dos de Champagne. Não há que se falar em Champagne se for de outra região. São os espumantes.

R$ 28,00
R$ 275,41
R$ 308

Comentários