Cotidiano

Mais de 100 tremores de terra são registrados no interior do Ceará

A região da cidade de Quixeramobim tem apresentado tremores desde o início do ano.

diario da manha
Foto: Reprodução

Na madruga da última quarta-feira (24/7), tremores de terra nas cidades de Boa Viagem, Madalena e Quixeramobim, no interior do Ceará, ficaram mais intensos e, de acordo com o Laboratório Sismológico do Nordeste (LabSis) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), foram mais de 100 tremores. Foi na cidade de Boa Viagem onde aconteceu o tremor com maior magnitude, de 2.5 graus na escala Richter, que vai a 10 graus.

Segundo o pesquisador do LabSis, Eduardo Menezes, a região da cidade de Quixeramobim tem apresentado tremores desde o início do ano, porém, os abalos tinham diminuído. O pesquisador afirma ainda que essa frequência voltou durante a madrugada do último dia (24/7) e, até as 7h da manhã foram registrados 102 tremores, a maioria deles com baixa intensidade.

Essa atividade sísmica pode parar de repente, se manter no nível de magnitude atual ou até mesmo aumentar, é impossível prever se ela vai progredir, mas pode haver tremores de magnitude maiores do que os registrados até o momento, só com o passar do tempo saberemos qual dessas hipóteses será a verdadeira, de acordo com o pesquisador.

O tremor atingiu um raio de 60 km

Só esse ano entre as cidades de Quixeramobim, Madalena e Boa Viagem, já são mais de 500 abalos. O maior tremor verificado esse ano, foi de três graus, essa atividade sísmica aconteceu dia 30 de março, em seguida vem o de 2.5 graus que ocorreu às 2h46 e o segundo maior, que registrou dois graus às 2h10, da última quarta-feira. O tremor registrado às 2h46 atingiu os moradores das cidades de Madalena e Boa Viagem, o pequeno terremoto chegou a um raio de 60 km de distância.

Segundo o responsável pelo setor de Sismologia da Defesa Civil do Ceará, Francisco Brandão, o órgão tem realizado trabalhos de prevenção e orientação sobre como se comportar antes, durante, e depois dos terremotos.

Com informações do Metrópoles

tags:

Comentários

Mais de Cotidiano