Cotidiano

Secretário trapaceiro é preso durante operação policial em Planaltina de Goiás

diario da manha

O Secretário Municipal de Transportes e Serviços Urbanos de Planaltina, José Álvaro Benevides, conhecido como “Cunhadinho”, foi preso nesta terça-feira (9) pela Polícia Civil do Estado de Goiás durante a Operação Trapaça, em Planaltina, no Entorno do Distrito Federal.

A Polícia Civil informou que Cunhadinho é suspeito de receber propina de empresas do Distrito Federal para permitir que elas descartassem lixo em áreas públicas da cidade. De acordo com as investigações, acredita-se que o vice-prefeito, João Gonçalves de Lima Neto, sabia do esquema.

Foram cumpridos mandados de busca e apreensão na casa do investigado e na Secretaria de Transportes do município. Em ambos os locais foram encontrados comprovantes de depósito e lista de pagamentos das empresas. Além de comprovantes, a polícia apreendeu os caminhões de lixo das empresas. Veja o vídeo do Delegado Cristiomário explicando como funcionava o esquema de Cunhadinho:

 

Secretário recebia propina das empresas

A PC acredita também que antes do esquema de Cunhadinho, as empresas envolvidas pagavam em Brasília, cerca de R$ 11 por tonelada de lixo descartada e inicialmente o caso estava sendo investigado como crime ambiental. O delegado Cristiomário, responsável pelo caso, informou que em dez dias o inquérito deve ser concluído, neste período o vice-prefeito de Planaltina deve ser intimado a prestar esclarecimentos à Polícia Civil.

De acordo com o delegado, o secretário ainda tentou forjar que o esquema era legal após a polícia dar início as investigações, além disso, Cunhadinho usou um posto de gasolina para dar legalidade ao dinheiro recebido pelo esquema.

Segundo a PC, Cunhadinho também é investigado pelos crimes de estupro de vulnerável e em um esquema de pagamento de propina a funerária para atuação sem licitação no cemitério da cidade. Com a operação de hoje, ele deve ser indiciado pelos delitos poluição qualificada, corrupção passiva, associação criminosa e fraude processual. O secretário foi levado para Cadeia Pública local onde se encontra à disposição do Poder Judiciário.

Comentários

Mais de Cotidiano