Cotidiano

Governo negocia liberação de água de reservatórios para equilibrar vazão do Meia Ponte

Do total de 400 reservatórios mapeados, 70 possuem 42 milhões de metros cúbicos de água reservada, informa secretária de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad)

diario da manha

O Governo de Goiás negocia com produtores para que a água de reservatórios particulares seja utilizada com o propósito de equilibrar a vazão na bacia do Rio Meia Ponte.

A medida, que integra um conjunto de ações emergenciais, foi anunciada nesta quarta-feira (11/09) pelo governador Ronaldo Caiado durante entrevista coletiva no Palácio Pedro Ludovico, ao lado da secretária de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), Andréa Vulcanis, e do presidente da Saneago, Ricardo Soavinski.

“Nós temos 400 reservatórios mapeados acima do ponto de captação do Rio Meia Ponte”, informa Andréa Vulcanis. “Destes, 70 têm acima de 2 hectares de espelho d’água. Somente eles representam 42 milhões de metros cúbicos de água reservada”, enumera.

“São neles que haverá um esforço de negociação com os seus proprietários para que haja uma liberação progressiva da água para sustentar um maior equilíbrio na vazão”, complementa. Ao lado do governador Ronaldo Caiado, a secretária sobrevoou a região da bacia logo após entrevista coletiva.

De acordo com a secretária, o esforço será colocado em prática para evitar que a vazão na bacia do Meia Ponte fique abaixo de 1.500 l/s, que é o nível crítico que pode gerar ações voltadas para o racionamento de água em Goiânia e em Aparecida de Goiânia.

Segundo Andréa Vulcanis, a ideia é negociar com cada produtor a liberação inicial de 30% dos reservatórios para auxiliar no aumento do nível da água. “Já estamos conversando com os detentores destes reservatórios para que haja uma liberação progressiva”, explica.

Ela lembra que não adianta liberar mais água do que a necessidade porque nem há onde reservar. “Na medida em que houver uma redução da vazão, abre-se o reservatório, e vamos progredindo a partir dos mais próximos do ponto de captação até os mais distantes”, pontua.

A média da vazão vinha se mantendo em 2.700 l/s desde o dia 14 de agosto, mas desde o final de semana há registros de quedas abaixo de 2.300 l/s. O fato sinalizou que muitos produtores estavam desrespeitando a proibição de irrigação durante o dia e a redução de 50% na outorga de captação.

Isso levou o governo a intensificar a fiscalização, com aplicação de multas e notificações em propriedades nos nove municípios que integram a Bacia do Meia Ponte. Por determinação do governador Ronaldo Caiado, o trabalho de fiscalização foi reforçado na terça-feira (10/09) com o aumento de equipes de fiscais em campo, uso de drones, aeronaves e embarcações de forças de segurança pública.

Comentários

Mais de Cotidiano