Cotidiano

“Goiás representa o Brasil que cresce”, diz secretário de Produtividade

diario da manha

“Goiás representa o novo Brasil que cresce, sonha, luta e olha mais para frente do que para trás”, disse o secretário especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, Carlos Alexandre Costa, durante solenidade, nesta terça-feira (1º/09), que marcou a liberação de mais de R$ 21 milhões para o Estado. Ao lado do governador Ronaldo Caiado, como representante do Governo Federal, ele projetou que investimentos da União voltados aos empreendedores goianos ultrapassará a marca de R$ 2,5 bilhões.

“Se nós temos um novo normal, nós temos um novo Brasil. E esse novo Brasil, vossa excelência acaba de diagnosticar que é Goiás que dá o pontapé inicial para ele”, respondeu Caiado ao secretário especial. “Tenho certeza absoluta que nós não vamos decepcioná-lo”, completou. Os financiamentos são do Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe), via Agência de Fomento de Goiás (GoiásFomento). A previsão é atender cerca de 450 empresários no Estado, que poderão obter até R$ 100 mil de financiamentos com uma das menores taxas do mercado brasileiro.

Ao lado da primeira-dama e coordenadora do Gabinete de Políticas Sociais, Gracinha Caiado, o governador destacou, ainda, que se trata de mais uma iniciativa para movimentar a economia nesse período pós-pandemia e incentivar o empresariado goiano, especialmente aqueles que mais precisam.

“[O crédito] é fundamental para continuar a proteger e não deixar com que as pessoas que são capazes de movimentar essa máquina se decepcionem ou que sejam excluídas da oportunidade do trabalho”, disse o governador. Para ele, o programa do Governo Federal tem um formato inteligente, que consegue driblar a burocracia e garantir que o dinheiro chegue rapidamente ao bolso dos empreendedores, gerando emprego e renda.

Carlos Alexandre, que no evento no Palácio das Esmeraldas, em Goiânia, representou o Governo Federal, informou que Goiás foi um dos Estados escolhidos para lançamento da segunda etapa do Pronampe, ao lado de Minas Gerais, por ser promissor. “Tem o Brasil que se lamenta e o Brasil que trabalha para superar suas dificuldades, e Goiás tem sido exemplo de Estado, sob a liderança do governador Ronaldo Caiado, que trabalha para superar suas dificuldades”, destacou.

O secretário nacional lembrou ainda que o Estado já desembolsou R$ 700 milhões na primeira etapa do Pronampe, e mais R$ 900 milhões via Programa Emergencial de Acesso a Crédito (Preac/FGI). E que, conforme Goiás avança, certamente os investimentos federais voltados aos empreendedores goianos ultrapassará a marca de R$ 2,5 bilhões. “E se passar, faço questão de voltar aqui para comemorar. Significa que as nossas empresas estão se reerguendo, e isso é muito importante para a retomada”, relatou.

Todo esse trabalho concentrado na esfera estadual já promove resultados, apresentados na ocasião pelo secretário de Indústria, Comércio e Serviços (SIC), Adonídio Neto. Além do crescimento da produção industrial, mesmo em meio à pandemia, o titular da SIC frisou que Goiás apresenta consecutivos recordes na abertura de empresas e é um dos três entes federativos com saldo positivo na geração de empregos. “Segundo órgãos especializados, somos um dos cinco Estados com maior potencial de sair da crise econômica em 2021. Eu falo que vamos sair ainda em 2020, porque temos planejamento e resultado para isso”, disse o secretário. A projeção foi referendada por Caiado: “É isso que pretendemos nesse momento”.

Sobre o Pronampe
O Pronampe foi instituído pela Lei 13.999, de 18 de maio de 2020, e é destinado ao desenvolvimento e ao fortalecimento dos pequenos negócios, em meio à pandemia do novo coronavírus. A iniciativa é operacionalizada por instituições financeiras públicas e privadas e já concedeu, numa primeira etapa, R$ 18,7 bilhões a micro e pequenos empresários em todo Brasil.

Neste mês, o programa foi ampliado, com o aporte de R$ 12 bilhões. É desse montante que, inicialmente, R$ 21 milhões foram destinados para a operacionalização da GoiásFomento. A linha de crédito é concedida com juros da taxa Selic e mais 1,25% ano, e prazo para pagamento de até 36 meses com oito meses de carência.

Cada empresa ou empresário poderá obter até R$ 100 mil, limitado a 30% do faturamento da empresa nos últimos 12 meses ou 50% do capital social, no caso das empresas com menos de um ano de funcionamento. O recurso poderá ser usado para investimentos e capital de giro, como o pagamento de salário, água, luz, aluguel, reposição de estoque e aquisição de máquinas e equipamentos.

O recurso atenderá os empresários que não conseguiram obter financiamento no âmbito do Pronampe nos bancos de varejo, já que via GoiásFomento, o crédito é facilitado. Após a liberação do recurso, os beneficiados terão consultoria para renegociar suas dívidas e limpar os nomes das empresas nos sistemas de proteção ao crédito para facilitar o acesso ao crédito. O trabalho será feito por meio da Secretaria da Retomada e do Sebrae.

Comentários