Cidades

Goiânia: shoppings voltam a funcionar em horário normal e permitem entrada de crianças menores de 12 anos

Os estabelecimentos voltaram a funcionar das 10h às 22h. Está autorizada a entrada de crianças menores de 12 anos nos shoppings. O PGE deve recorrer de decisão.

diario da manha
Shoppings voltam a funcionar, em Goiânia — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

A prefeitura de Goiânia autorizou a retomada do horário normal de funcionamento dos shoppings da capital, por meio do Centro de Operações de Emergências (COE) para o Enfrentamento ao Coronavírus em Goiás. Após aproximadamente sete meses, os estabelecimentos voltaram a funcionar das 10h às 22h, no último sábado (3). A medida também vale para galerias e centros comerciais.

A justiça de Goiás ainda liberou por meio de uma decisão liminar, a entrada de crianças menores de 12 anos nos shoppings, o que, até então, estava proibido.

Na última semana o pedido havia sido feito pela Associação de Lojistas do Shopping Flamboyant, porém, o desembargador Itamar de Lima estendeu a autorização, dada no dia 26 de setembro, a todos os estabelecimentos da capital.

Em nota, a PGE-GO informou, na última semana, que ainda não havia sido notificada da decisão, mas que iria recorrer assim que fosse possível.

Os shoppings da capital reabriram em junho, mas com horários reduzidos. já no primeiro dia de funcionamento em horário integral, foi possível registrar um movimento intenso pelos corredores e lojas de um dos maiores um dos maiores shoppings da capital, no Jardim Goiás. A presença de crianças também foi notada.

Segundo o presidente da Associação de Lojistas do Shopping Flamboyant, Raphael Rios, o retorno do horário integral de funcionamento é importante para o segmento.

“Acredito que a volta do horário normal traz a sensação de normalidade, a sensação de que os negócios estão voltando ao normal. Alguns segmentos vão sofrer mais que outros, mas acredito que isso é uma fase de adaptação”, afirmou.

Também houveram mudanças nos estacionamentos dos shoppings, em que agora não há mais restrições para a ocupar as vagas, nas quais antes atendiam um número limitado de veículos.

Para esse retorno os shoppings continuam seguindo as medidas de seguranças estabelecidas por decretos, como o uso obrigatório de máscaras, aferição de temperatura na entrada e disponibilização de álcool gel para os clientes.

Mas a infectologista Marcelo Daher, alerta que o momento ainda exige cuidados para evitar a disseminação do coronavírus.

“As pessoas precisam ter muita consciência. A transmissão ainda existe e não diminuiu. A gente precisa que as pessoas entendam que elas devem ir ao shopping para fazer o que deve ser feito e não ficar passeando muito”, pontua.

Comentários