Cotidiano

Professor de universidade em MG é afastado após denúncias

Madalena morava com a família desde os oito anos e conforme as investigações do MPT por 38 anos a mulher viveu em condições de escravidão

diario da manha

Dalton César Milagres Rigueira professor de uma universidade em Patos de Minas, está sendo investigado. Suspeito de manter uma mulher em condições similares à escravidão, divulgou a Fundação Educacional de Patos de Minas (Fepam).

O Ministério Público do Trabalho (MPT), resgatou a mulher que prestava serviço sem registro, salário ou folga. Madalena Gordiano foi retirada da casa e o advogado da família Brian Epstein Campos soltou uma nota sobre o caso.

O advogado relata “a defesa informa que ainda não teve acesso a todos os elementos que envolvem a senhora Madalena”. De acordo com a defesa da família “a divulgação prematura e irresponsável, pelos fiscais e agentes do Estado”. E acrescenta “antes de um processo que por sentença reconheça a culpa”. De acordo com Brian “viola direitos e dados sensíveis daquela família e vulnera a segurança pessoal deles”.

Madalena morava com a família desde os oito anos. Conforme as investigações do MPT por 38 anos a mulher viveu em condições de escravidão. Sem receber salário e ter folgas. A Policia Federal também apura os fatos e revelou que a diarista é negra e não terminou os estudos.

Humberto Moteiro Camasmie, auditor fiscal contou que Madalena dormia em “um quarto com menos de 3 metros de comprimento por 2 de largura, abafado e sem ventilação”. Agora a vítima está em um abrigo para mulheres vítimas de violência.

Comentários