Cotidiano

“A mulher está preparada e merece igualdade de direitos”, diz Lincoln Tejota ao reunir lideranças femininas no Dia Internacional da Mulher

Primeira-dama Gracinha Caiado foi uma das convidadas do encontro virtual e falou dos desafios no Governo de Goiás: “Se cabe a mim trabalhar no social, tenho que fazer isso com toda força que eu tiver”

diario da manha

“O nosso governo é permeado por mulheres na liderança. Eu quero ser um incentivador, fazer com que seja reconhecido o papel insubstituível da mulher no mundo melhor que queremos construir ”, disse o vice-governador Lincoln Tejota durante encontro virtual em homenagem ao Dia Internacional da Mulher.

Cinco mulheres que atuam no serviço público se reuniram com o vice-governador para uma conversa sobre a data especial, na manhã desta segunda-feira 8 de março.

A primeira-dama de Goiás, Gracinha Caiado, que está à frente do Gabinete de Políticas Sociais do Estado, foi uma das convidadas. “A igualdade não pode ser aprisionar em caixas, ou em dias específicos. Hoje é o dia da mulher, vamos celebrar sim! Mas amanhã também é dia da mulher e depois de amanhã também. Todo dia é dia da mulher, todo dia é dia da igualdade. Somos fundamentais e fazemos a diferença em qualquer hora do ano”, disse a primeira-dama.

Também participaram do encontro virtual a prefeita de Lagoa Santa, Núcia Kelly; a vice-prefeita de Perolândia, Grete Elisa; a vice-prefeita de Firminópolis, Ivônia Rodrigues; e a delegada titular da 2ª Delegacia Regional de Aparecida de Goiânia, Cybelle Tristão. Com o tema “Política é coisa de mulher – Elas não precisam de apoio, precisam de espaço”, a live abordou temas relevantes da constante luta feminina por direitos, igualdade e respeito.

Desafios
Gracinha Caiado disse que ouvia muitos questionamentos sobre qual seria a sua função dentro do governo. “Se cabe a mim trabalhar no social, tenho que fazer isso com toda força que eu tiver. Não por vaidade ou orgulho, mas é que na outra ponta tem muita gente que precisa da nossa ajuda”, disse Gracinha.


Desde que assumiu a titularidade do Gabinete de Políticas Sociais (GPS), a primeira-dama fez um levantamento sobre as pessoas em situação de vulnerabilidade. “Eu não imaginava que teriam tantas famílias precisando de nós. E eu sozinha não consigo ajudar a todos, por isso que precisam dos gestores que estão nos municípios.

Eu quero trabalhar com vocês. Só vou fazer alguma coisa se tiver o apoio, se trabalharmos juntos”, disse a primeira-dama às gestoras municipais que também participavam da videoconferência.

Exemplo
“É uma honra representar várias mulheres no segmento da política, que é um espaço ainda de pouca participação feminina, mas que eu creio que será ampliado em breve”, disse a prefeita Núcia Kelly, que assumiu a gestão de Lagoa Santa ao lado de outra mulher, a vice-prefeita Veronice. Dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) da última eleição revelam que o avanço da gestão feminina ainda é tímido. As candidatas eleitas em 2020 representaram apenas 12,2% do total de prefeituras do Brasil.


Diante desse cenário de sub-representatividade da mulher na política, o vice-governador lamentou que ainda exista uma parte da sociedade que está presa a pensamentos arcaicos, que limitam a presença feminina no serviço público ou no mercado de trabalho. “A mulher nem sempre é vista com a importância que tem, mas tudo faremos para avançar na garantia desses direitos”, comentou Tejota.


Para a vice-prefeita de Perolândia Grete Elisa, dona Gracinha é um exemplo que reforça a atuação das mulheres na política goiana. A vice-prefeita de Firminópolis Ivônia Lourenço concordou que esse olhar aos municípios, marca da ação social do governo, é um reforço à atuação em parceria.

Violência doméstica
“O dia de hoje é um dia de reflexão”, pontuou a delegada Cybelle Tristão ao comentar o cenário de violência que ainda atinge as mulheres. No entanto, a delegada titular da 2ª Delegacia Regional de Aparecida de Goiânia exaltou as ações do governo estadual para garantir a segurança das mulheres.

“Quando foi lançado o ‘Pacto Goiano pelo Fim da Violência Contra a Mulher’ – em 2019 -, tivemos várias ações desenvolvidas pela Polícia Civil que levaram à prisão de muitos agressores. Isso trouxe uma segurança e, principalmente, credibilidade ao poder do Estado e da polícia de punição”, lembrou a delegada Cybelle.

Somente em janeiro de 2021, a Polícia Civil de Goiás prendeu 197 suspeitos por crimes relacionados à Lei Maria da Penha. A primeira-dama Gracinha Caiado ainda citou a ‘Operação Resguardo’, coordenada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública em âmbito nacional, que vem sendo considerada a maior ação de combate a crimes de violência contra a mulher já realizada, mobilizando 5 mil policiais civis em 26 estados e o Distrito Federal.

Um anúncio final feito pelo vice-governador alegrou as participantes que foi sobre a implantação da Sala Lilás, de atendimento humanizado às vítimas de violência, também no interior do estado; uma das metas do programa Goiás de Resultados. “É diretriz do governo, combater a violência contra a mulher no nosso estado”, pontuou ele.

Comentários