Cotidiano

Líder de quadrilha suspeita de tráfico de mulheres, escolhia e preparava vítimas

Homem suspeito de comandar trafico diz que só mandava viajar as mulheres que ele havia "experimentado"

diario da manha

A Polícia Federal prendeu nesta semana uma quadrilha acusada de organizar um tráfico internacional de mulheres. De acordo com as investigações, mais de cem brasileiras foram exploradas. A Polícia identificou Rodrigo Cotait como responsável por escolher as mulheres no Brasil e prepara-las para a viagem.

As vítimas eram escolhidas e abordadas pelas redes sociais, ou até mesmo através da empresa de maquiagem que ele dizia ser dono. Entre as mulheres, existia também menores de idades negociadas por ele.

“Eu exporto mulher para tanto país: Estados Unidos, Oriente Médio, Austrália, Singapura, China, Nova Zelândia, Europa, Bolívia”, conta Cotait em um áudio.

As mulheres eram comercializadas como um tipo de objeto. O “valor” disparava se elas tivessem algum titulo de beleza ou muitos seguidores na internet. “Só mando viajar produto de exportação que tem meu selo de qualidade, ou seja, comprovei o material”, diz Rodrigo.

Segundo as investigações, um cliente antigo, Wissar Nassar, era uma das pessoas que contrataram menores de idade. O mesmo é dono de um shopping em Ciudad del Este, no Paraguai. Uma de suas vítimas teria sido a MC Mirella, ainda quando era menor de idade.

“Eu paguei para ela. Eu paguei um “cash”, dinheiro. Fui sacar. A menina não tinha nem conta em banco, que ela tinha 17 anos… 16 ou 17 anos”, conta em um áudio.

Leia também:

Comentários