Cotidiano

MDB chega a consenso e eleição para diretório terá chapa única

Paulo Cezar Martins e Daniel Vilela: unidade do MDB de Goiás assegurada

diario da manha

O presidente estadual do MDB, Daniel Vilela, e o deputado estadual Paulo Cézar Martins (MDB) divulgaram vídeo, ontem, em que anunciam um consenso na disputa pelo diretório do partido em Goiás. Cabeças de chapas opostas, agora Daniel sai como candidato a presidente e Paulo, a vice, repetindo a composição atual da sigla no Estado.

“Estou ao lado do nosso deputado Paulo Cézar Martins para comunicarmos, juntos, que nós nos reunimos com mais alguns integrantes das duas chapas registradas ontem e construímos um consenso importante de unidade para o partido”, diz o atual presidente e candidato à reeleição.

Segundo Daniel, foram estabelecidos critérios que preservam a representatividade do partido e, ao mesmo tempo, contemplam “pessoas que estiveram ativas e atuantes nesse debate interno e importante do partido”.

O dirigente informa, ainda, que a decisão será comunicada aos membros durante a semana que antecede a eleição, marcada para a próxima sexta-feira, 2 de julho. “Uma grande festa partidária, que demonstrará toda a unidade e a força do nosso partido, que a partir de então irá discutir a construção e o sucesso do nosso MDB para as eleições de 2022”, diz no vídeo.

Paulo reforça a decisão, segundo ele, pautada na busca por união e fortalecimento da sigla e de cada militante. Ele também destaca uma de suas principais pautas: “Na certeza de que vamos buscar a candidatura própria.”

O deputado disse que o compromisso de que o MDB irá trabalhar por uma candidatura própria para o governo do Estado foi determinante para que se chegasse a esse acordo. Como se sabe, há a especulação de que o partido, com aval de Daniel, apoie a reeleição de Ronaldo Caiado (DEM) em 2022. “Somos um partido grande e todos os companheiros têm essa necessidade de ter uma candidatura própria”, disse Paulo Cezar.

Ainda no vídeo, Daniel encerra dizendo que o deputado é seu amigo e tem sua admiração e respeito.

Paulo chegou a conseguir liminar para barrar a eleição, realizada na sexta-feira (18), após ter seu registro de chapa indeferido pelo diretório, presidido por Daniel. O partido então remarcou o pleito para o dia 2 de julho, a contragosto do deputado, que queria esperar a decisão definitiva da justiça. Mas o embate chegou ao fim nesta sexta (25). A eleição do partido foi antecipada com o objetivo de evitar desgastes diante da aproximação com as eleições de 2022.

Comentários