Cotidiano

Mulher é assediada sexualmente por médico em Iporá

A polícia investiga se houve mais casos de assedio por parte do médico

diario da manha
Foto/reprodução

Médico ortopedista, de 36 anos, é indiciado a seis anos de prisão por violação sexual mediante fraude a uma paciente, de 41 anos, no município de Iporá, Goiás. A Polícia Civil do Estado de Goiás, concluiu a investigação que apurou o caso ocorrido no dia 31 de maio.

No relato a vítima disse que no momento da consulta ortopédica, o médico se dispôs um exame físico nas costas da paciente. Durante o exame o médico pediu para que ela levasse as duas mãos para trás e, em seguida, colocou as partes genitais para fora da calça e o esfregou na vítima. A paciente logo se virou e visualizou que o médico estava excitado, então começou a gritar por socorro, até que foi socorrida por outros médicos e enfermeiras do hospital.

No mesmo dia, a prática do crime foi comunicada à direção do hospital e a vítima registrou a ocorrência na Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (DEAM) de Iporá, dando início às investigações. Nesta segunda-feira (21) a polícia concluiu a investigação e indiciou o médico ortopedista pelo crime de violação sexual mediante fraude, além de registrar outro caso de assedio cometido por ele. Desta vez foi contra uma enfermeira que também o viu excitado e foi importunada para ter relações sexuais com ele dentro do consultório.

Delegado do Caso – Imagens/Polícia Civil

O delegado Igor Moreira afirma que a policia indicou seis anos de reclusão pelo crime e também ordenou a suspensão temporária do exercício da medicina, aguardando-se decisão judicial. O Conselho Regional de Medicina de Goiás foi comunicado para instaurar processo disciplinar por infração ético-profissional.

Leia também

Comentários