Cotidiano

Saúde da Família atende 460 mil usuários

Acompanhamento inclui consultas médicas, enfermagem e odontológica, visitas domiciliares, administração de medicamentos e acolhimento a situação de urgência

diario da manha

A Atenção Primária, conforme padronização do Ministério da Saúde, é o primeiro nível de atenção e cuidado através do acompanhamento integral do indivíduo. Em Goiânia, a Estratégia Saúde da Família (ESF) está estruturada com 193 equipes multiprofissionais e, atualmente, atende 154.671 famílias, totalizando 464.043 usuários assistidos. De janeiro a maio deste ano, foram 70.162 atendimentos, o equivalente a 14.032 por mês.

As equipes da ESF são compostas por médicos, enfermeiros, técnicos /auxiliares de enfermagem, agentes comunitários de Saúde e profissionais da Saúde Bucal. O programa está implantado em 59 Unidades de Saúde da Família (USF). Entre os serviços disponibilizados, estão: consultas médicas, enfermagem e odontológica, educação em saúde, visitas domiciliares, administração de medicamentos, acolhimento a situação de urgência, solicitação de exames e acompanhamento da situação vacinal.

Outras três unidades devem ser entregues até o início do próximo semestre, sendo a USF Alto do Vale e USF São Carlos, na região do Distrito Noroeste e uma unidade no Riviera. A última hoje funciona em unidade alugada. Depois de entregue, passará a contar com 12 consultórios médicos e de enfermagem, além de cinco odontológicos em sede própria.

Durval Pedroso, secretário municipal de Saúde, explica que “este modelo de atenção abrange diferentes tipos de serviços e oferece cuidado ao usuário, considerando o território e as condições socioeconômicas, culturais e epidemiológicas ao qual está inserido”.

Como se cadastrar
Para ser incluído na Estratégia de Saúde da Família, basta o usuário comparecer à unidade de saúde Unidade Saúde da Família (USF) que abrange a sua região, ou aguardar a visita do Agente Comunitário de Saúde. Mas, para isso, é preciso ser registrado junto ao Sistema Único de Saúde (SUS), pois é por meio dele que a atenção primária identifica que o usuário é vinculado e acompanhado por alguma unidade de saúde.

Assim, é muito importante manter todos os dados atualizados, incluindo endereço e telefones. Isso facilita a localização do cidadão, em caso de necessidade de contato, para monitorar ou vigiar alguma condição de Saúde.”, explica Acácia Spirandelli, diretora de Atenção Primária e Promoção da Saúde da SMS.

Comentários