Cotidiano

Atletas da Comurg se destacam em competições esportivas

Lotado no departamento de transportes, Luis Apolinário, de 55 anos, é competidor de atletismo há 11 anos

diario da manha
Lotado no departamento de transportes, Luis Apolinário, de 55 anos, é competidor de atletismo há 11 anos

No momento em que o mundo volta seus olhos para a 32ª edição dos Jogos Olímpicos e o Brasil torce por seus representantes, a Prefeitura de Goiânia compartilha histórias de atletas e competidores da Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg).

Além da competência e profissionalismo em seus ofícios, esses atletas se dedicam às modalidades esportivas que praticam. E o resultado são vitórias em competições oficiais e não oficiais pelo Brasil.

“Nosso reconhecimento aos colaboradores da Comurg que são exemplo também no esporte”, destaca o prefeito de Goiânia, Rogério Cruz. O gestor frisa que Goiânia investe na qualidade de vida por meio de investimentos no esporte e lazer.

Conheça a história de Luis Carlos Martins Apolinário, Jari Luiz da Cunha e José Silvério, representante do atletismo. E de Leandro de Souza Santos e Bruno Castro da Silva, representantes do Taekwondo.

Atletismo
Lotado no departamento de transportes, Luis Apolinário, de 55 anos, é competidor de atletismo há 11 anos, e há 10 trabalha na Companhia. Nesse período, foram 112 maratonas oficiais e incontáveis não oficiais. Além do atletismo, Luis tem como hobby vôlei de areia e ciclismo.

O maratonista relata o momento mais marcante de sua carreira. “Sem dúvida, a meia maratona de montanha, em Brasília. Foram 21km de pura intensidade em um terreno acidentado, de elevados e declínios, onde cheguei ao final do percurso mais por honra mesmo do que por desporto. Foi questão de garra e determinação”, concluiu.

Jari Luiz, de 57 anos, é fiscal de postura, e há 15 anos dispõe seus trabalhos na Companhia. Começou no atletismo no ano 2000 com o intuito de emagrecer e nunca mais abandonou o esporte. Em 21 anos, foram mais de 200 maratonas e meias maratonas. A corrida de São Silvestre e a Meia Maratona do Rio estão entre as mais importantes, no entanto, Jari fala daquela que lhe traz a melhor recordação.

“Foi a corrida de montanhas que aconteceu em 2013, na fazenda Maralinda, próximo a Santo Antônio de Goiás. Uma corrida muito disputada, que exigiu um esforço físico acima do normal, mas que, no final, valeu muito a pena, já que fui o campeão dos 6km”, recordou.

José Silvério de Jesus, de 51 anos, trabalha há 10 anos na Comurg. O gerente operacional de iluminação começou no atletismo em 2003, destacando-se como um dos principais nomes do circuito nacional. Especialista em meias maratonas, alcançou seu ápice em 2012 na Corrida de São Silvestre, a competição de rua mais importante do país.

“Dentre muitas corridas de rua, a São Silvestre de 2012, que tinha quase 30 mil atletas, foi a que mais me marcou. Foi onde alcancei a marca de 54 minutos, em 15km, cruzando a linha de chegada entre os 100 melhores colocados. Eu me preparei bem e, mesmo não largando no pelotão de elite, me esforcei para estar entre os 100 melhores”, destacou Silvério.

Comentários