Cotidiano

Proprietário rural que ajudou Lázaro teve pedido de liberdade negado

A defesa só teria anexado o comprovante de RG no arquivo do proprietário, o que deixou inviável qualquer pedido de liberação

diario da manha

O proprietário rural Elmi Caetano Evangelista, de 73 anos, teve o pedido de liberdade negado pela Justiça.

Na manhã desta terça-feira (06) o desembargador do caso, Ivo Favaro, relatou que não atendeu o pedido de liberdade liminar e determinou o arquivamento do processo sem julgamento de mérito pelo mesmo motivo.

Elmi é acusado de ajudar a Fuga de Lázaro Barbosa, contra uma ação policial. Ele teria acobertado o criminoso nos dias 18 e 24 junho, e ainda tentado despistar a polícia do local. Lázaro ficou foragido por 20 dias na região de Cocalzinho de Goiás e Águas Lindas.

Segundo Favaro, a defesa não juntou ao habeas corpus o processo original, desde o dia 24 de junho ele está preso. No processo, a defesa afirma que “o que é público e notório dispensa comprovação” e por isso abre mão de anexar os documentos citados no pedido.

“Tendo em vista que os atos policiais e processuais ora objurgados são de conhecimento de todos e, de modo particular estão nos bancos de dados desse Poder, deixo de anexar documentos aos quais faço menção”, argumentou a defesa.

O advogado Ilvan Barbosa não convenceu o magistrado, sobre as provas do caso.

A defesa argumenta que: “não há provas para que houvesse o flagrante, muito menos argumentos para a conversão da prisão preventiva”. Além disso, não se sustenta a acusação de que Elmi impediu a entrada de policiais na propriedade, fato que teria chamado a atenção da força-tarefa na tarde anterior à prisão.

Comentários