Cotidiano

Presos integrantes de organizada do Vila Nova que atropelaram torcedores do Goiás

Câmeras de segurança ajudaram a polícia a identificar e prender os ocupantes de dois veículos que em 11 de abril passado atropelaram de forma proposital um casal de amigos adolescentes que estavam vestidos com camisa do Goiás Esporte Clube

diario da manha

Câmeras de segurança ajudaram a polícia a identificar e prender os ocupantes de dois veículos que em 11 de abril passado atropelaram de forma proposital um casal de amigos adolescentes que estavam vestidos com camisa do Goiás Esporte Clube. Os nove presos são membros de uma torcida organizada do Vila Nova, e teriam cometido vários outros crimes. Câmeras de segurança de uma residência registraram o momento em que uma garota de 15 anos, e um amigo dela, de 17 anos, foram atropelados pelo motorista de um HB 20 no Jardim Novo Mundo, poucos minutos após o final de uma partida entre Goiás e Vila Nova. Após ser atingido, o jovem ainda foi agredido com chutes e murros por pelo menos sete homens, que desceram de dois carros. Investigações conduzidas pela Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) de Goiânia apontaram que o casal foi atingido de forma proposital apenas por estarem usando camisas do Goiás Esporte Clube. Eles sofreram apenas escoriações leves, mas estão traumatizados, e com medo de sair na rua. Além deste atropelamento, a polícia descobriu que naquele mesmo dia os homens e mulheres que estavam nos dois carros haviam abordado uma garota de 15 anos que estava vestida com uma camisa do Goiás, e, com um revólver, obrigaram ela a retirar toda a roupa, que foi roubada. Além de ficar sem as roupas e pertences, a adolescente foi deixada completamente nua na rua. Além das nove prisões, os agentes da DPCA cumpriram 22 mandados de busca e apreensão. Nas casas dos investigados, foram encontradas encontraram camisas e bandeiras de times rasgadas, bastões, ferros, soqueiras, porções de drogas, e munições. Os dois carros filmados no atropelamento do casal em abril também foram apreendidos. Os nove presos, que não tiveram nomes, nem idades divulgados, responderão por tentativa de homicídio, roubo, e organização criminosa. A Polícia Civil também pretende pedir, ao Ministério Público de Goiás, a extinção das torcidas organizadas no estado.

Rota 190

Quatro morrem em confrontos com a PM
Entre terça-feira e ontem, quatro suspeitos de tráfico de drogas morreram após troca de tiros com policiais militares. Em Trindade, equipes do Batalhão Rural apreenderam 20 peças de maconha e dois revólveres com uma dupla, abordada perto da cidade. No Setor Perim, em Goiânia, o confronto foi entre policiais do 45º BPM e um condenado faccionado, que usava tornozeleira eletrônica, e estava armado com um revólver calibre 38. A última troca de tiros foi registrada no início da manhã de ontem em Caldas Novas, onde um homem que levava 636 peças de maconha em uma camionete perdeu a vida após atirar contra militares da Companhia de Patrulhamento Tático (CPT). Nomes e idades dos quatro mortos não foram divulgados pela PM.

Empresário e família são presos por roubo e receptação
Um empresário que mora em Goiânia, a esposa dele, um filho do casal, e um enteado deles foram presos suspeitos de comandar uma quadrilha que rouba cargas de alimentos e de defensivos agrícolas em sete estados do Brasil. Em 10 anos, este empresário, segundo investigações conduzidas pela Delegacia Estadual de Repressão a Furtos e Roubos de Cargas (Decar) construiu um patrimônio milionário, e adquiriu mais de 10 casas agropecuárias e supermercados. Além deles, outros seis integrantes da quadrilha, que também falsificavam agrotóxicos, foram presos, e a polícia conseguiu recuperar mais de R$ 100 milhões em defensivos agrícolas e cargas roubadas. A Decar já solicitou, junto à justiça, a penhora de todos os bens do empresário, familiares, e pessoas que foram usadas por ele para abrir empresas.

Recém-nascido foi abandonado por três pessoas
A Polícia Civil já sabe que três pessoas foram os responsáveis pelo abandono, no final da madrugada de terça-feira passada, de um recém-nascido no Jardim do Cerrado, em Goiânia. Imagens de câmeras de segurança mostraram a movimentação destas três pessoas na rua onde o bebê foi abandonado, e a suspeita é que a mãe se uma usuária de drogas, que vive em situação de rua. Como as imagens não são nítidas, a polícia ainda não conseguiu identificar o trio, mas espera contar com a ajuda da população para chegar até eles. Denúncias podem ser feitas pelo telefone 197. Apesar de ter sido abandonado sem roupa em uma madrugada extremamente fria, o recém-nascido foi acolhido, medicado, e passa bem.

Comentários