Cotidiano

Brasil e Espanha buscam o bicampeonato olímpico

Partida vale o ouro dos Jogos de Tóquio e o Bicampeonato para ambas as equipes

diario da manha

Brasil e Espanha entram em campo na manhã deste sábado, 7, às 8h30 (no horário de Brasília) e ambas as equipes tem apenas um objetivo, conquistar a medalha de ouro das Olimpíadas de Tóquio.

O time comandado por André Jardine tem a missão de defender o título, uma vez que nos jogos do Rio de Janeiro em 2016, a seleção brasileira de futebol masculino ganhou sua primeira medalha de ouro nos jogos.

Vale lembrar que o técnico da seleção brasileira deu entrevista na qual falou sobre os três jogadores acima de 24 anos convocados, e que eles deram um peso a mais ao elenco montado para os jogos.

E com isso a equipe brasileira busca o bicampeonato no torneio, em sua terceira final consecutiva. Em 2012 o Brasil bateu na trave ao ser derrotado pelo México na decisão; no Rio de Janeiro vitória nos pênaltis sobre a Alemanha no Maracanã lotado e agora busca o segundo título na modalidade seguido em Tóquio.

Do outro lado, uma equipe que não esteve nos Jogos do Rio de Janeiro em 2016, mas que chegou com fome de título. E assim como o Brasil busca o seu bicampeonato nas Olimpíadas, isso porquê os espanhóis conquistaram a medalha de ouro nos Jogos de Barcelona em 1992.

Campanha das equipes: Brasil

O Brasil caiu no grupo D dos jogos de Tóquio com Alemanha, Costa do Marfim e Arábia Saudita. Logo no primeiro duelo a reedição da final dos Jogos da Rio 2016 e um primeiro tempo primoroso da seleção que venceu a Alemanha por 4 a 2.

No segundo duelo, a equipe de André Jardine teve que suportar jogar com um amenos, após a expulsão de Douglas Luiz, e ficou apenas no empate sem gols com a Costa do Marfim.

No terceiro duelo a equipe custou a engrenar, mas contou mais uma vez com Richarlison que marcou dois gols, assumiu a artilharia com cinco, e venceu por 3 a 1 a Arábia Saudita e se classificou na primeira colocação do grupo, com a Costa do Marfim em segundo e a Alemanha eliminada ainda na primeira fase.

Na quartas de finais, o Brasil enfrentou o Egito, embora estivesse melhor em campo com as melhores chances criadas no jogo, a partida terminou com um placar magro, vitória por 1 a 0 e a classificação para as semifinais.

Na briga por uma vaga na decisão, um velho conhecido cruzou o caminho da seleção brasileira, o México. Em um jogo truncado pouco se viu durante os 90 minutos e a prorrogação, e olha que a trave ainda salvou os mexicanos no segundo tempo.

A decisão então foi para as penalidades, nas cobranças o Brasil converteu todas, enquanto o México perdeu as duas primeiras e converteu apenas uma e saiu derrotado pela placar de 4 a 1 nas penalidades e os meninos do Brasil com a vaga na decisão para buscar o bicampeonato

Espanha

A Espanha por sua vez começou a sua corrida pela medalha nos Jogos de Tóquio, no Grupo C, que tinha ainda Argentina, Egito e Austrália. Na primeira rodada os espanhóis empataram sem gols com os egípcios; depois venceram a Austrália por 1 a 0 e fecharam a fase de grupos ao empatar com a Argentina e conquistaram a classificação na primeira colocação, seguidos do Egito e os hermanos e a Austrália foram eliminados.

Nas quartas de finais a Espanha enfrentou a Costa do Marfim, saiu na frente no placar, mas viu por alguns momentos nos acréscimos a classificação escapar após os marfinenses estarem vencendo por 2 a 1, mas depois de uma falha da defesa adversária conseguiram empatar o jogo, e na prorrogação com um Rafa Mir inspirado fazer 5 a 2 e avançar para as semifinais.

Nas semifinais os espanhóis enfrentaram os donos da casa, em um jogo equilibrado, a definição mesmo do finalista só ocorreu na prorrogação. No segundo tempo da prorrogação, Marcos Asensio recebeu dentro da área e bateu no canto do goleiro japonês para fazer o gol que levaria a Espanha para a final dos jogos de Tóquio contra o Brasil.

Leia também:

Comentários