Cotidiano

Justiça ordena a prisão de sargento suspeito de estuprar uma jovem

O sargento insistiu em levar a jovem para casa e forçou a entrada dele na residência da mulher

diario da manha
Foto/Reprodução

A jovem de 27 anos, foi surpreendida pelo sargento Bruno Rocha Prado, na saída de um bar, em Mineiros, sudoeste goiano. Ele insistiu em leva-la para casa e segundo a denúncia, o homem persistiu para dirigir o carro da vítima e forçou a entrada dele na residência. Depois, a levou para o quarto, retirou sua roupa íntima e praticou atos libidinosos.

“Você não tem reação nem para se defender. Você fica pensando: ‘O cara está armado. Se eu fizer alguma reação, me leva presa e fala que fui eu que agredi’. Você fica naquele pensamento todo o tempo. Não sabe o que faz”, desabafou a mulher.

A mulher conta que por medo obedeceu às ordens do sargento, de tirar a roupa e se deitar na cama. Ela relata que, neste momento, aconteceu o estupro.

Portanto, a Justiça Militar ordenou a prisão preventiva do sargento. Ele foi denunciado pelo Ministério Público de Goiás (MP-GO) por atentado violento ao pudor. Segundo o MP, junto com ele, o cabo José dos Reis Gonçalves, também foi denunciado por deixar de praticar, indevidamente, “ato de ofício, para satisfazer interesse pessoal”.

O homem aproveitou do estado de fragilidade da vítima para cometer tais atos, e segundo o MP, o cabo é suspeito de ser cumplice, pois, o sargento entregou a condução da viatura a ele, que não tem habilitação. Contudo o oficial ficou aguardando a saída do colega do lado de fora da residência.

A jovem conta que após a saída do sargento, ela ligou para a mãe e a irmã. Logo depois ela passou por exames de corpo de delito.

“Quero justiça. A gente tenta confiar em um órgão que poderia estar nos protegendo ao invés de fazer mal. Estou tendo crises de ansiedade, antes eu não tinha”, lamenta.

Leia Também

Comentários