Home / Cotidiano

COTIDIANO

Vaga de vice de Caiado é bem maior que se pensa

Na década passada era quase inadmissível cogitar decisões políticas antes do ano das eleições, geralmente, tudo era decidido no último minuto do prazo final do fechamento das atas das convenções. Bem, isso pode mudar de agora em diante. Um exemplo é o presidente da República, Jair Bolsonaro, que desde que assumiu, em janeiro de 2019, já deixou clara sua intenção de ser candidato à reeleição, uma decisão que em outros tempos seria considerada “muito equivocada”, mas, são outros tempos. Na semana passada, em Goiás, o assunto mais comentado nos bastidores era a formação da chapa majoritária governista, com uma intensa articulação entre os dois principais candidatos a vice, Lissauer Vieira (PSB) e Daniel Vilela (MDB). Na semana passada, em forte aproximação, Daniel esteve com Caiado em Itapaci, enquanto Lissauer ganhou apoio de lideranças de primeira hora do grupo governista. Toda essa energia empreendida constrói um cenário de decisão antecipada, para o desenho da chapa à reeleição, antes do final deste ano. Entretanto, não se contabiliza este contexto como um “queda de braço”, neste aspecto, o governador Ronaldo Caiado tem dialogado de forma muito hábil, contemporizando cada projeto que lhe é apresentado pelos interessados em caminhar juntos em 2022. E o próximo ano não é só um projeto de reeleição: quem estiver na vice, como já dissemos aqui, estará com um pé na disputa de 2026, com forte possibilidade de ser uma alternativa para liderar os processos políticos de Goiás por, pelo menos, uma década, em virtude do ciclo que vai se encerrando para uma boa quantidade de políticos, em virtude do tempo. A vaga de vice de Caiado é algo bem maior que só um cargo público: é um degrau a mais para quem deseja liderar Goiás no próximo ciclo político.

Fio Direto

Guinada

O governador Ronaldo Caiado (DEM) comemora a manifestação de apoio dos deputados Célio Silveira (federal) e Francisco Oliveira e Talles Barreto (estaduais), todos do PSDB marconista.

Diálogo

Vereadores da base aliada procuraram o prefeito Rogério Cruz (Republicanos) na tentativa de superar as divergências entre o vereador Kleybe Morais e o secretário de Governo Arthur Bernardes.

Só três

Dos 35 vereadores goianienses, apenas três – Santana Gomes (PRTB), Kleybe Morais (MDB) e Mauro Rubem (PT) fazem oposição ao governo Rogério Cruz.

De volta

Sebastião Peixoto (DEM) está de volta à Câmara Municipal de Goiânia. Político experiente, é pai do deputado estadual Bruno Peixoto e do ex-vereador Wellington Peixoto.

Novo partido

Adib Elias vai deixar o Podemos e pode migrar para o Progressistas. O prefeito de Catalão não é candidato a cargo eletivo em 2022.

Eleição na OAB

Pré-candidato a presidente da OAB-GO, o advogado Pedro Paulo de Medeiros tem batido na tecla de que é preciso reduzir a anuidade da instituição. Mas não diz que quando era conselheiro federal pela mesma OAB-GO a taxa da ordem goiana era a mais cara do Brasil, quase 10% superior à segunda colocada, São Paulo.

Redução

A anuidade da OAB-GO foi reajustada em 13% nas duas gestões de Lúcio Flávio. No mesmo período, a inflação foi de 45%.

Dívida

A atual gestão da OAB-GO lembra que o grupo de Pedro Paulo, a OAB Forte, a despeito de cobrar a anuidade mais cara do Brasil, legou à instituição uma dívida milionária, paga pela administração atual.

Assistencialismo

A eleição deste ano da OAB-GO, aliás, confronta visões diferentes sobre o papel da instituição. Enquanto uns defendem que a ordem deva dar dinheiro aos advogados, condição que não se sustenta na realidade financeira da instituição, outros acreditam que ela ajuda mais se contribuir para a formação da classe diante dos desafios profissionais do futuro.

Lato sensu

A Escola Superior da Advocacia, comandada em Goiás pelo pré-candidato Rafael Lara Martins, lançou projeto para oferecer aos advogados 15 mil bolsas de pós-graduação.

Pandemia

A propósito da crise da covid, que obviamente afetou aos advogados, a OAB-GO concedeu auxílios emergencial e extraordinário a 619 advogados apenas em 2020. Foram mais de R$ 6 milhões, se somados a outros benefícios.

MDB deve antecipar anúncio de apoio à reeleição de Caiado

O presidente estadual do MDB, Daniel Vilela (foto) deve confirmar para o mês de setembro o anúncio da aliança do partido com o DEM e apoio à reeleição do governador Ronaldo Caiado. O dirigente tem em mãos levantamento que indica que 90% das bases emedebistas rejeitam a proposta de candidatura própria à sucessão estadual. Daniel vai esperar apenas a plena recuperação do ex-prefeito Iris Rezende.

Linha cruzada

O presidente do PTB de Goiás, Eduardo Macedo, deve levar à Brasília, um grupo de correligionários para manifestar apoio ao presidente nacional da sigla, Roberto Jefferson.

Jefferson foi preso a pedido do ministro do STF, Alexandre de Moraes, seu desafeto em várias ocasiões.

Leia também:

  

edição
do dia

Capa do dia

últimas
notícias

+ notícias