Cotidiano

Cinco pessoas são assassinadas na fronteira entre Brasil e Paraguai

Em menos de 24 horas, três brasileiros e dois paraguaios foram mortos a tiros em diferentes locais, polícias do Brasil e do Paraguai investigam os casos

diario da manha
Foto: Divulgação/Redes Sociais

Cinco pessoas foram assassinadas na região que faz fronteira entre Brasil e Paraguai, as execuções aconteceram em menos de 24 horas. Entre as vítimas, estão Farid Charbell Badaoui Afif, 37, vereador de Ponta Porã (MS), cidade fronteiriça com o Paraguai, e Haylee Carolina Acevedo Yunis, 21, filha de Ronald Acevedo, governador do estado paraguaio de Amambai.

Agora, as polícias dos dois países averiguam os casos para confirmar se existe relação entre os assassinatos.

O vereador Farid Afif foi o primeiro a ser executado. Poucos momentos antes de morrer, na sexta-feira, 8, ele publicou um vídeo nas redes sociais no qual dizia que passaria com sua bicicleta em algumas repartições.

Quatro tiros foram disparados contra Farid, porém um o atingiu e o levou a óbito. Segundo a polícia, os disparos vieram de uma pessoa que estava em uma motocicleta.

Na cidade paraguaia de Pedro Juan Caballero, que faz fronteira com Ponta Porã, quatro pessoas foram mortas no início da manhã deste sábado, alvejadas por tiros enquanto saíam de uma casa noturna.

Os suspeitos de atirarem estavam em uma caminhonete, que se aproximaram do carro da vítima, dispararam os tiros e fugiram, todos morreram no local.

Dentre os quatro mortos, dois são paraguaios: Haylee Carolina Acevedo Yunis, 21, atingida por seis tiros, e Omar Vicente Álvarez Grance, 32, atingido por 31 tiros. E duas brasileiras: Kaline Reinoso de Oliveira, 22 anos, atingida por 14 tiros, e Rhamye Jamilly Borges de Oliveira, 18, morta com 10 tiros.

Leia também

Comentários