Cotidiano

Ministério Público investiga uso do termo "cocaína" em lição escolar

Duas servidoras municipais são investigadas por usarem o termo "cocaína" em atividade para alunos do 8º ano

diario da manha
Foto: Annie Spratt/Unsplash

O Ministério Público de Goiás (MPGO), investiga, juntamente com os representantes do município de Itaberaí, a conduta profissional de duas servidoras municpais de uma escola da cidade, que utilizaram o termo “cocaína” em uma atividade.

Na atividade, uma questão pedia o cálculo da quantidade de cocaína colocada em um pino de plástico. Alunos do 8º ano receberam a folha de exercícios em casa, e a questão chamou a atenção dos pais.

O promotor de Justiça Marcelo Faria da Costa Lima, informou que a reunião com o MPGO, realizada na manhã desta quinta-feira, 14, foi solicitada para analisar as providências que foram tomadas em relação ao caso.

A secretária municipal de educação, Carla de Deus Lima Lemes, disse ao promotor que a servidora que ocupava o cargo de supervisora escolar pediu exoneração no dia 8.

O promotor afirma que foi instaurado procedimento investigar a atitude administrativa tanto da supervisora, quanto da coordenadora pedagógica da escola.

Daniel Fernandes Leite, procurador-geral do município, complementou que a Câmara Municipal de Itaberaí constituiu Comissão Especial para acompanhamento do processo administrativo aberto para apurar a conduta das duas servidoras.

Leia também

Comentários