Cotidiano

Atirador esperou comerciante sair de boate do Marista para executá-lo

.

diario da manha

A Delegacia Estadual de Investigação de Homicídios (DIH) espera contar com a ajuda da população para prender o homem que na madrugada de segunda-feira executou com seis tiros nas proximidades de uma boate na Rua 146, no Setor Marista, o comerciante do ramo de autopeças Luiz Roberto Chirstichini Filho, 29. Após ouvir oito testemunhas, o delegado que investiga o caso, João Paulo Mendes, disse não ter dúvidas de que o crime teve motivação passional, e foi premeditado.

Luiz Felipe Neves Marques, 25, segundo a Polícia Civil, foi quem atirou em Luiz Roberto pelo fato do comerciante estar se relacionando com sua ex esposa, de quem havia se separado há quatro meses. Além do depoimento de testemunhas, câmeras de segurança que registraram a execução ajudaram os policiais a identificá-lo.

Autor e vítima, segundo apurou a equipe da DIH, estiveram na mesma boate na noite de domingo e madrugada de segunda-feira. Quando viu que Luiz Roberto estava com sua ex-mulher, Luiz Felipe teria mandado um conhecido avisá-lo que ele sofreria represálias. Pouco tempo depois, ele saiu da boate, e ficou pelo menos uma hora esperando o comerciante deixar o local. Quando percebeu que Luiz Roberto entrou no carro, o atirador se aproximou, discutiu por alguns segundos, o pegou pelo pescoço, e disparou seis vezes, à queima-roupa.

O carro que Luiz Felipe usou para chegar e sair do local do crime foi apreendido no condomínio onde ele mora, no Jardim Goiás. O atirador, porém, ainda não foi encontrado, e, além do 197, a DIH também divulgou um número de um whatsapp para denúncias que possam levar a seu paradeiro, (62) 98524-1000. O denunciante não precisa se identificar.

Ameaças anteriores
Já ouvida pela DIH, a ex mulher de Luiz Felipe contou que há quatro meses, no momento em que anunciou que iria se separar, ele afirmou que mataria qualquer pessoa que se relacionasse com ela, e só não tiraria também a vida dela porque eles têm um filho de apenas três anos. Assim como a vítima, o atirador também possui antecedentes criminais por delitos graves, como roubo, formação de quadrilha, e porte ilegal de arma de fogo.
Tanto Luiz Roberto quanto Luiz Felipe, ainda de acordo com a polícia, são integrantes de uma facção criminosa carioca, e atuavam fortemente, também, no tráfico de drogas. Não existe, porém, segundo o delegado João Paulo Mendes, nenhuma hipótese de que o assassinato tenha relação com a atividade criminosa que ambos exerciam.

Rota 190

Presa dupla que matou motorista de aplicativo em Aparecida
Quase um ano após o latrocínio, agentes do Grupo de Investigações de Homicídios (GIH) de Aparecida de Goiânia prenderam os dois criminosos que, em 22 de dezembro do ano passado, mataram a tiros um músico no Conjunto Planície. Na ocasião do crime, Guilherme França de Carvalho, 31, trabalhava como motorista de aplicativo para complementar a renda, a fim de comprar um presente de Natal para a filha, e também para fazer uma ceia para sua avó. Além de responderem por latrocínio, os dois presos, que não tiveram nomes, nem idades divulgados, também foram autuados em flagrante por tráfico, já que os policiais encontraram nas casas deles várias porções de drogas, e dinheiro em notas miúdas que, confessaram, foi adquirido com a venda de entorpecentes.

Mulher é espancada durante assalto em Goiânia
Criminosos que estavam em uma moto espancaram uma mulher que, junto com sua vizinha, foi assaltada no Condomínio das Esmeraldas, em Goiânia. Desesperada ao ter o celular roubado, a vítima entrou na frente da moto em que estavam os criminosos, ocasião em que foi puxada pelo cabelo, atropelada, e levou vários chutes e socos na cabeça. Os assaltantes fugiram, e ainda não foram localizados, mas as imagens das câmeras de segurança devem ajudar a polícia a identifica-los. Moradores da região onde ocorreu o roubo reclamam da presença constante de criminosos, e pedem um patrulhamento mais ostensivo pelo bairro.

PM flagra ladrões de gado em Quirinópolis
Durante bloqueio perto de Quirinópolis, cidade distante 290 quilômetros de Goiânia, militares do Batalhão Rural prenderam dois acusados de estarem roubando gado naquela região. Na carroceria do carro em que eles estavam, os PMs encontraram um bovino abatido, além de uma espingarda calibre 22, munições, uma noto serra elétrica, facas, cordas, e um machado. Um dos abordados já possui condenação, e era monitorado por tornozeleira eletrônica. Nomes e idades dos dois presos, que foram autuados em flagrante na Delegacia da Polícia Civil de Quirinópolis, não foram divulgados. No celular de um dos presos, os policiais encontraram um vídeo que mostra um boi sendo abatido com um tiro de carabina, mesma arma que foi apreendida com a dupla.

Comentários