Cotidiano

Com saída de OS, Hugo prevê demissão e recontratação de 1.029 funcionários

Segundo o instituto que gere o hospital, as demissões fazem parte do protocolo de transição das Organizações Sociais (OSs) e as recontratações são quase certas de ocorrer

diario da manha
Foto: Reprodução/Secretaria de Saúde de Goiás

Devido à saída do Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde (INTS), anunciada nesta sexta-feira, 3, o Hospital de Urgências de Goiânia Dr. Valdomiro Cruz (HUGO) deve demitir e recontratar 1.029 funcionários.

Estes 1.029 servidores são ligados ao INTS e atuam em regime celetista (CLT). Segundo o instituto, as demissões fazem parte do protocolo de transição das Organizações Sociais (OSs) e as recontratações são quase certas de ocorrer.

As substituições devem ocorrer nos cargos de confiança, como gerentes e diretores.

Confira a nota enviada pelo instituto, que não explica o motivo pelo qual deixa a gestão do hospital:

“A Secretaria de Estado da Saúde de Goiás (SES-GO) informa que será realizada a mudança da Organização Social responsável atualmente pela gestão do Hospital de Urgências de Goiás Dr. Valdemiro Cruz (Hugo). 

Todas as ações relativas à transição serão acompanhadas por uma Comissão para que o processo seja realizado de forma responsável, tranquilo e respeitoso para com os trabalhadores e com a população, sendo conduzido com total transparência para que não ocorram prejuízos financeiros e assistenciais.

Para atender questões trabalhistas, ocorrerá o desligamento dos trabalhadores que atuam no hospital com a atual OS. Possivelmente, muitos serão recontratados pela nova instituição que assumir a gestão do local.

A SES-GO reitera que zela pela manutenção da boa assistência ao cidadão goiano no Hugo com prestação de um serviço com qualidade e segurança no local.”

Leia também

Comentários