Cotidiano

Suspeitos de Latrocínio em Goiânia são presos

Em depoimento um dos suspeitos disse que deu as pauladas no idoso, após ser agredido pela vítima

diario da manha

O segundo suspeito de participar do latrocínio, roubo seguido de morte, de Carlúcio Pereira de Loiloa, de 62 anos, foi preso pela equipe do Grupo de Repressão a Roubos/Latrocínio (DEIC/GARRA) na última terça-feira, 7.

O crime foi ocorreu no dia 26 de outubro do presente ano, no Jardim Caravelas, em Goiânia, na residência da vítima. O caso era investigado pela Polícia Civil do Estado de Goiás (PCGO) que buscava prender o segundo suspeito.

De acordo com as informações divulgadas Deumir Eterno da Silva Oliveira, de 33 anos, estava próximo a residência da vítimas, bebendo na companhia de Alex Alves de Araújo, de 33, conhecido como “Leleco” e momentos depois foram para a casa de Carlúcio com o intuito de roubar os bens da residência do idoso.

É importante ressaltar que Leleco estava foragido e foi preso ontem e o inquérito policial finalizado e enviado para o Poder Judiciário.

Um dos suspeitos do latrocínio conhecia a vítima e pulou o muro da casa dela no dia do crime

A polícia informou que Deumir conhecia a vítima e o local, e que ele pulou o muro no dia do crime, enquanto Leleco atuou como vigia na calçada da residência da vítima. Durante a ação dos suspeitos, o indivíduo que pulou o muro espancou a vítima com um pedaço de pau, que deixou o dono da residência com ferimentos graves, e provocaram sua morte.

Os dois rapazes por sua vez fugiram do local com a televisão da vítima. Deumir foi preso em flagrante horas depois do crime e o aparelho roubado da casa de Carlúcio encontrado escondido em uma mata.

A polícia usou imagens dos circuito de segurança para identificar os envolvidos no crime, e através delas, os investigadores notaram que Deumir estava acompanhado de uma outra pessoa, o Leleco.

Vídeo de câmeras de segurança mostram o momento que os envolvidos se dirigem para a casa da vítima

Autor das pauladas disse que reagiu a uma agressão da vítima

Autor das agressões que mataram a vítima, Deumir, confessou o crime e disse em depoimento que reagiu a uma agressão de Carlúcio e em seguida roubou a sua televisão. Deumir disse para a polícia que Leleco ficou na frente da residência da vítima como vigia.

No entanto, Leleco negou sua participação no crime, e que no momento estava em sua residência. Entretanto, a polícia afirmou que os elementos coletados durante a investigação são provas suficientes para comprovar a participação dos dois no latrocínio do idoso.

De acordo com a polícia Deumir tem passagens por tráfico de drogas e homicídio, Leleco por sua vez tem em sua ficha furtos e roubos. Os dois vão responder pelo crime de Latrocínio.

Leia também:

Comentários