Cotidiano

Pecuaristas reagem contra revista Globo Rural por incentivo à “segunda sem carne”

.

diario da manha
Janaína Flor, uma das líderes do movimento pecuário feminino que coordenou a distribuição de churrasquinhos em frente ao Bradesco

Quando se imaginava que o imbróglio provocado pelo Bradesco sobre o consumo de carne bovina havia se encerrado, eis que a revista Globo Rural dá incentivo à “segunda sem carne”e a Associação dos Criadores de Nelore do Brasil reage e põe fogo na brasa.

Em Goiânia, Janaína Flor, uma das líderes do movimento pecuário feminino e que coordenou a distribuição de churrasquinhos aos transeuntes na Praça Tamandaré em frente à agência do Bradesco, já deu o ar da graça. O Brasil detém o maior número de animais da raça Nelore, sobretudo na região Centro-Oeste.

Segundo a Nelore Brasil, a publicação da Globo Rural foi absorvida como um ataque ao agronegócio brasileiro. A ACNB redigiu um manifesto ao País e enviou nota de repúdio à revista. “Poderíamos esperar tudo, mas não a revista Globo Rural fazer post que deprecia a carne bovina, um alimento nobre, saudável e essencial para as pessoas. A Associação dos Criadores de Nelore do Brasil não podia ficar calada e expressa o seu profundo desapontamento com o desprezo da revista (que deveria defender o agro) aos pecuaristas brasileiros”, escreveu Nabih El Aouar, presidente da Nelore Brasil.

O editor chefe da Globo Rural respondeu, observando que o intuito foi de atender o segmento dos consumidores que defendem a sustentabilidade. A Nelore Brasil não aceitou a justificativa e fez a tréplica. Com o maior rebanho bovino brasileiro, a Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat) também emitiu nota repudiando a publicação.

Janaína Flor, confinadora de gado de corte e uma das líderes do movimento das mulheres pecuaristas em Goiás, fez suas considerações sobre o “a Segunda sem Carne”. “Uma coisa é respeitar o segmento agro. Outra coisa é ser agente que promove segregação da cadeia – respeitar a condição de escolha pessoal de não comer carne não dá o direito de denegrir a cadeia de carne, se posicionando a favor da Segunda sem carne”.

E observa que “por se tratar de mídia que tem grande parte do seu conteúdo voltado a pecuária brasileira, foi de extrema falta de respeito com o cliente pecuarista brasileiro.” Janaína lembra que a pecuária brasileira lidera a lista dos mais produtivos do País, um segmento que lidera os 10 principais produtos de exportação”.

Comentários