Cotidiano

Três são presos por estelionato e tráfico de drogas em Goiânia

Batalhão de Cães foi chamado para atuar na ocorrência, e os cães farejadores encontraram 196 comprimido de Skunk, carga foi avaliada em R$ 2 milhões

diario da manha

Uma denúncia sobre estelionato e tráfico de drogas feita as equipes do Choque e do Comando de Operações Especiais, terminou com três presos e um prejuízo de aproximadamente R$ 2 milhões para o tráfico.

De acordo com as informações divulgadas pela polícia, uma equipe do Choque recebeu a denúncia de que um caminhão azul estaria transportando produtos que seriam furtos de estelionato no Jardim Nova Esperança. Assim o patrulhamento na região foi intensificado afim de confirmar a veracidade da denúncia.

Após o patrulhamento ser intensificado na região, as equipes avistaram um veículo com as mesmas características da denúncia feita, que acabava de entrar em um lote. Os policiais envolvidos na ocorrência então abordaram o caminhão e encontraram 10 pneus de trator que seriam fruto de estelionato.

Motorista indicou que havia deixado outro caminhão no local horas antes

O motorista do caminhão disse durante depoimento prestado que horas antes deixou um outro caminhão no lote, que estaria carregado com três tendas, 15 colchões que seriam fruto do mesmo crime. Além do motorista do caminhão, outros dois suspeitos que estavam em uma carreta estacionada no local, também foram presos na ação policial.

Durante a abordagem a equipe policial identificou que um dos suspeitos presos tinha passagem por tráfico de drogas, e desta forma pediu o apoio do Batalhão de Cães (BPCÃES), e os cães farejadores encontraram na ocasião 196 peças de skunk no fundo falso da carreta.

Desta forma foram aprendidas as 196 peças de Skunk que foram avaliadas em cerca de R$ 2 milhões; os 10 pneus de trator avaliados em 100 mil reais; três tendas e 15 camas box avaliadas em R$ 30 mil e três homens presos.

O material apreendido e os suspeitos foram levados para a Central Geral de Flagrantes onde foram autuados pelos crimes.

Leia também:

Comentários