Cotidiano

A música é a forma mais leve de aprender

Favorece o desenvolvimento da sensibilidade, criatividade, senso rítmico, do prazer, da imaginação, memória, concentração, atenção, respeito ao próximo, socialização e afetividade

diario da manha

A música possui um papel importante na educação das crianças. Ela contribui para o desenvolvimento psicomotor, sócio afetivo, cognitivo e linguístico, além de ser facilitadora no processo de aprendizagem.

Segundo a obstetra Cárita Rosa, a música pode estar presente na vida da criança antes mesmo do seu nascimento. “Desde o ventre materno é possível estimular a audição com a voz dos pais ou até mesmo em forma de música”, explica.

A musicalização é um processo de construção do conhecimento que favorece o desenvolvimento da sensibilidade, criatividade, senso rítmico, do prazer, da imaginação, memória, concentração, atenção, respeito ao próximo, socialização e afetividade. Também contribui para uma efetiva consciência corporal e de movimentação.

“Joanny desenvolveu muito em questão da atenção às coisas ao seu redor e também na coordenação motora, como bater palmas, e pés e identificar o som dos animais”, conta Lindineis Souza da Silva Rosa, mãe da bebê de 7 meses diz.

O pediatra, Maiton Fredson da Silva Lopes, explica que o feto humano, com 21 semanas de idade gestacional, já possui todas as estruturas neurofisiológicas para ouvir. Ele afirma que cantar e conversar com o bebê ainda durante a gestação é um ato aconselhável e que aumenta conexão da mãe com o filho (a).

É o caso de Lindineis que relata que a filha costuma interagir quando ela canta músicas que costumava cantar quando estava grávida. “Quando ela escuta a mesma melodia ou quando eu canto para ela, eu percebo que a expressão dela fica diferente, olha para mim gostando do que está escutando”, afirma.

A pedagoga Angelita de Castro Caçula diz que a influência da música infantil na aprendizagem da criança é incontestável. “A criança precisa ser criança, viver essa etapa, portanto, a música infantil deve estar inserida no contexto e na vivência dela de forma positiva. Estimulada pelos pais e também professores nas escolas, principalmente até os 6 anos de idade”, ressalta Angelita.

A sequência dos sons produzidos tem relação direta com a linguagem. As canções infantis, por exemplo, ajudam as crianças a entender o significado das palavras, sobretudo as que possuem rimas e frases ou sílabas repetitivas. As crianças armazenam palavras ao ouvirem e cantarem uma música, e a dicção também pode ser aprimorada.

“O meu filho, por exemplo aprendeu o valor da família, a demonstrar as emoções, como lavar as mãos, escovar os dentes que tem uma música própria para isso. Então pode auxiliar na educação, audição, na percepção de algumas coisas, acredito que influencia até mesmo na formação da opinião da criança”, conta Wislainy Rodrigues Honorato, mãe de Davi Enrico, de 23 dias e Derick Enrico, de 4 anos.

De acordo com Wislainy, quando coloca músicas que costumava ouvir na gestação, seu bebê costuma parar a amamentação para ouvir e acompanhar. “Traz um afeto, traz uma lembrança desde a gestação”, diz.

A obstetra explica que essa conexão se dá pelo fato de que essa memória musical fica impregnada nos comandos cerebrais do indivíduo e ao nascer podem, normalmente, ser estimulados.

Leia também:

Comentários