Cotidiano

Mesmo condenados, irmãos conseguiram registro e CACs e compraram armas de grosso calibre

.

diario da manha

A condenação por crimes graves não impediu que dois irmãos, um de 44 anos e o outro de 34 anos, comprassem legalmente armas de grosso calibre. Na madrugada de ontem, porém, eles foram presos por policiais militares no momento em que circulavam com duas espingardas, e com um revólver.
Militares do 42º BPM foram quem, no Bairro Goiá, desconfiaram de dois homens que estavam em uma motocicleta, e que ostentavam duas armas longas. Quando abordados, os ocupantes do veículo entregaram aos PMs duas espingardas calibre 12, e um revólver 3.57.

Os irmãos apresentaram aos policiais registros das armas, e também documentos provando que eles seriam Caçador, Atirador e Colecionador (CAC). Esse último registro, segundo a polícia, dá direito ao portador de circular com armas desmuniciadas, mas apenas no trajeto entre suas residências e algum clube de tiro, ou no trajeto até alguma área de caça.

Pelo horário em que foram abordados, porém, os irmãos não poderiam estar com as armas, já que os clubes de tiros estavam fechados. A alegação de que estavam indo ou voltando para alguma área de caça permitida também foi contestada pelos policiais, já que, para que pudessem estar neste local, eles precisariam ter, em mãos, uma autorização de algum órgão ambiental competente, o que não possuíam.

O que mais chamou a atenção dos policiais que realizaram a abordagem, porém, foi o fato dos dois irmãos terem conseguido os registros de CACs, e a compra legal das armas, mesmo já tendo condenações na justiça. O mais velho, segundo a PM já cumpriu pena no Presídio de Niquelândia por roubo à mão armada. O mais novo foi condenado por tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo, e, quando foi abordado, deveria estar cumprindo prisão domiciliar, o que o proibia de deixar sua residência no período noturno.

Armas para traficantes
Na semana passada, militares do Comando de Operações de Divisas (COD) prenderam, no Jardim Curitiba, em Goiânia, um casal foragido da justiça do Rio de Janeiro que estava com 11 mil munições de fuzil e carabina. De acordo com apurações feitas pela Polícia Civil carioca, o casal também tinha registro como CACs, e, com estes documentos, compravam armas e munições de grosso calibre de forma legal, mas depois as revendiam para traficantes.

Rota 190

Suspeitos de tráfico morrem em confronto com a CPE
Recebidos a tiros durante a averiguação de que um imóvel estaria servindo para o desmanche de veículos, militares da Companhia de Policiamento Especializado (CPE) reagiram, e feriram fatalmente dois suspeitos de tráfico de drogas. Dentro da casa em que eles estavam, na Rua Pergentino da Luz, no Bairro Recanto das Graças, em Trindade, os policiais encontraram várias porções de maconha, uma pistola calibre 380, um revólver calibre 38, e duas emulsões explosivas, normalmente usadas para arrombar caixas eletrônicos. A PM não divulgou nomes, nem idades dos dois mortos, mas afirmou que ambos já possuíam vários antecedentes, e seriam integrantes de uma facção criminosa.

Dois assassinatos são registrados em Caldas Novas e Uruaçu
Um homem de 50 anos foi morto a tiros na porta da casa dele no Setor Estância Boa, em Caldas Novas. Testemunhas contaram que o atirador, que estava em uma moto, gritou pelo nome da vítima no portão. Assim que o morador saiu, foi atingido com alguns disparos, morrendo no local. Em Uruaçu, na Região Norte de Goiás, Carlos Vinícius Xavier, 20, também foi morto a tiros na região central da cidade. Segundo a Polícia Militar, o jovem já possuía antecedente criminal por roubo. Os autores dos dois crimes seguem foragidos, e os casos já estão sendo investigados pela Polícia Civil.

Capturado homem que tentou matar rival em bar
Imagens feitas por uma testemunha que presenciou a discussão e a tentativa de homicídio ajudaram a Polícia Militar a identificar e prender o homem que no final de semana deu vários tiros na porta de um bar no Parque Industrial Ipeguary, em Santa Helena, cidade que fica na região sudoeste de Goiás. Um dos disparos atingiu a perna de um dos frequentadores do bar, que era quem discutia com o atirador. Ele foi socorrido, e não corre risco de morte. Na casa do autor dos disparos, os policiais da 21ª CIPM apreenderam uma pistola, que estava carregada com 10 munições. Junto com a arma, o homem, que não teve o nome, nem a idade divulgados, foi encaminhado para a Delegacia da Polícia Civil de Santa Helena.

Comentários