Cotidiano

Empresário de Anápolis dá calote de mais de 200 milhões em apostadores e sofre ameaças de morte - áudio

Dois boletins de ocorrência foram abertos contra o empresário, um em Goiânia e outro em Anápolis

diario da manha

O investidor em apostas esportivas, Henrique Saccomori Ramos, de 29 anos, se tornou o principal assunto das redes sociais nesta quinta-feira, 31. O empresário é dono da H5 Investimentos Esportivos, e gravou não apenas um vídeo, mas diversos áudios, no qual afirma que perdeu mais de R$ 200 milhões de reais dos seus clientes.

De acordo com as informações divulgadas, os investidores da empresa, faziam investimento, os quais eram utilizados em apostas esportivas e para fazer com que o dinheiro dos envolvidos tivesse rendimento. Conforme a nossa reportagem por mês, o valor investido pela empresa de Henrique rendia aos seus clientes o equivalente a 18% por mês.

Os valores do investimento na H5 variavam de R$ 100 a R$ 2 milhões. Henrique era o responsável por conversar com os clientes, e afirmavam durante as reuniões que era impossível alguém perder o valor investido, pois haviam diversas travas de segurança para impedir a perda de dinheiro.

O vídeo em que o empresário aparece e afirma ter perdido o dinheiro dos investidores, pegou a todos de surpresa. No vídeo é possível ver Henrique com o semblante abatido, e ele informa que não fugiu, e que estava prestes a ir à polícia para prestar todos os esclarecimentos e pedir proteção, pois também passou a ser ameaçado de morte.

Mais de dois mil clientes foram lesados

De acordo com o investidor, foram mais de dois mil clientes que investiram milhares de reais, que perderam o valor investido. Alguns chegaram a vender casas e carros para conseguir investir, uma vez que o negócio tinha diversas travas de segurança segundo o empresário.

O dono da empresa afirmou que ele não fez nada diferente, e que como depende de outras pessoas, de outros jogadores, o sistema deu tudo errado. A fala de Henrique foi transmitida não apenas por um vídeo gravado e divulgado nas redes sociais, mas também em áudio enviado aos seus clientes por meio de aplicativos de mensagem.

Foram feitos até o momento dois boletins de ocorrência contra o empresário, em um deles, a vítima que é de Goiânia afirmou que perdeu R$ 80 mil reais, em outro, feito agora em Anápolis, a vítima afirmou que teve um prejuízo de R$ 100 mil.

Confira os áudios com ameaças ao empresário:

Nota dos investidores

H5 INVESTIMENTOS ESPORTIVOS EIRELI, através de seu representante
legal Henrique Saccomori Ramos, declara que desde o dia 27 de Março de 2022,
após uma reunião realizada na Itália acerca de apostas esportivas, o sócio
proprietário junto de sua esposa sofreram uma ameaça de morte de todos os seus
familiares e todos os seus entes queridos, destacando que a qualquer momento
que o sócio proprietário procurasse as autoridades policiais todos estariam
mortos. Diante disso, os bandidos internacionais coagiram o sócio proprietário a
relatar que fosse apenas informado aos investidores que haveria uma perda
financeira, ou, caso contrário, toda a sua família iria ser imediatamente morta.
Lamentavelmente a situação saiu do controle e a empresa H5
INVESTIMENTOS ESPORTIVOS EIRELI procurará a polícia internacional
para apurar o crime de extorsão mediante sequestro e cárcere privado praticado
em desfavor de todos os familiares do sócio proprietário.
A empresa H5 INVESTIMENTOS ESPORTIVOS EIRELI assevera que
pretende fornecer uma solução segura a todos, pedindo encarecidamente, neste
momento, a paciência necessária para a averiguação do crime e do prejuízo
informado nesta nota. Mesmo nunca prometendo lucro aos investidores, a
empresa sempre agiu de forma séria e o mais transparente possível, por isso,
buscará a melhor forma de solucionar o caso.
Pedimos nossas sinceras desculpas, pois, na iminente ameaça de perder a vida, o
sócio proprietário foi obrigado a informar que todas as entradas foram perdidas.
Contudo, considerando que irá procurar a polícia para resguardar sua vida, pede
que todos aguardem a apuração dos fatos. Toda esta situação foi postergada ao
máximo para evitar o risco de morte.
A empresa se mantém à disposição para futuros esclarecimentos e designará uma
assessoria de comunicação em breve.

Leia também:

Comentários