Cotidiano

Leite: as derivações de um alimento aliado à saúde

O Dia do Leite é comemorado na sexta-feira, 24, nutricionista explica sobre sua importância para a saúde e em quais casos ele pode ser substituído

diario da manha
Foto: Reprodução/Anita Jancovic/ Unsplash

O primeiro alimento a ser consumido pelo ser humano após nascer é o leite, necessário para o bom desenvolvimento do corpo nos primeiros meses. E ao longo da vida o seu consumo é mantido, estando o leite presente em bolos, doces, salgados, iogurtes, alimentos derivados como queijos, quiches e até mesmo em alguns tipos de pães.

Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU) para Alimentação e Agricultura, o leite é o alimento mais consumido no mundo, com 589 milhões de toneladas do alimento puro ou seus derivados, como queijos, sendo ingeridos anualmente. Só no Brasil, segundo a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), são produzidos 33,6 bilhões de litros por ano, além de gerar emprego e renda para a população.

Para exemplificar a importância deste alimento que é tão importante em vários aspectos, o nutricionista Rodrigo Laomonier fala sobre seus benefícios, como seu poder antiinflamatório em alguns casos.

“Diversos ensaios clínicos demonstram que o consumo moderado de leite e derivados entre pessoas saudáveis e sem contraindicações não tem relação com excesso de gordura corporal, além desses indivíduos apresentarem mais massa muscular. Além disso, o consumo moderado de laticínios está associado a redução de níveis de alguns marcadores inflamatórios no sangue, o que vai na contramão do que muitos dizem, de que leite seria “inflamatório” para todos”, afirma.

Porém nem todos podem consumir o leite comum, seja por intolerância à lactose ou alergia à proteína do leite, e há opções para consumir o alimento sem que ele faça mal.

“Hoje existem infinitas opções no mercado de laticínios que são zero lactose, que podem ser utilizadas por pessoas com Intolerância à lactose. Há também as bebidas vegetais (leite vegetal), que apresentam características nutricionais diferentes do leite de vaca, mas que podem ser opções sensoriais interessantes”, explica.

Leite vegetal de amêndoas, uma opção para substituir o leite de vaca. (Foto: Reprodução/ Sandi Benedicta/Unsplash)

“Existem as opções de leites vegetais de amêndoas, soja, castanha de cajú, dentre outras. Podem ser adquiridas no mercado ou podem preparar em casa mesmo”, detalha o nutricionista para quem possui restrições em relação ao leite de vaca.

Rodrigo faz um alerta sobre o consumo do leite vegetal e também explica a questão nutricional deste tipo de alimento.

“Com relação ao valor nutricional, os leites vegetais são menos nutricionalmente interessantes que o leite de vaca. No entanto, nos mercados hoje em dia existem as opções que são enriquecidas de nutrientes, o que pode ser uma excelente estratégia para melhora do estado nutricional de alguns pacientes”, afirma.

Sendo um alimento importante, há quem não o consuma em nenhum momento da vida, então como fazer para substituir o cálcio presente no leite?

“O leite é uma boa opção para auxiliar no consumo da recomendação diária de cálcio, mas, há inúmeras opções para contemplar esse nutriente de forma plena. Por exemplo: utilizar vegetais verde escuros, sementes em geral, principalmente o gergelim, peixes, oleaginosas, bebidas vegetais fortificadas com cálcio, tofu, dentre outras opções. Porém, é importante reforçar que o acompanhamento com Nutricionista é essencial para uma avaliação e prescrição individualizada para suprir as necessidades de cada indivíduo”, esclarece.

O atual preço do leite comum, que já ultrapassa os R$ 7 devido à inflação e já soma aumento de 15% no último ano gerou um efeito dominó nos seus derivados, como iogurtes e queijos, que também sofreram com o impacto da alta dos preços. Com isso, as dicas do nutricionistas sobre os leites vegetais feitos em casa podem ser de grande utilidade para economizar.

Leia também

Comentários