Cotidiano

Polícia Civil deflagrou operação que mira suspeitos de fraude de R$ 2,6 milhões em banco no DF

Segunda fase da 'Operação Payback' foi deflagrada nesta quinta-feira, 2. Conforme os investigadores, os suspeitos agendavam PIX já com a intenção de cancelar, e receber o valor do banco

diario da manha
Polícia Civil do DF cumpriu 21 mandados de prisão na primeira fase da Operação Payback - Foto: Reprodução

A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) deflagrou, nesta quinta-feira, 2, a segunda fase da Operação “Payback”, que mira um grupo suspeito de fraudes bancárias. Os agentes começaram a cumprir cinco mandados de prisão, em Planaltina, e cinco mandados de busca e apreensão, em Ceilândia.

Segundo a corporação, o esquema movimentou R$ 2,6 milhões. De acordo com as investigações, em março deste ano, uma falha no aplicativo de um banco permitiu que o cancelamento de uma transferência por PIX retornasse ao cliente com crédito de valor idêntico, para a mesma conta usada na operação.

Conforme os investigadores, os suspeitos agendavam PIX já com a intenção de cancelar, e receber o valor do banco. Após a fraude, a Polícia Civil afirma que o dinheiro era transferido para outras contas ou utilizado para o pagamento de boletos e compras diversas.

Foto: Reprodução

Segundo os investigadores, alguns dos suspeitos fizeram várias transferências, entre R$ 50 mil e R$ 70 mil, para o pagamento de dívidas e de viagens para o exterior.

De acordo com a apuração, durante o período de falha da plataforma, influenciadores que sabiam do erro usaram a internet para ensinar como cometer a fraude. A Polícia Civil quer descobrir se a falha foi causada por alguém que trabalha na instituição financeira ou por um hacker.

Com informações do G1.

  • Leia também:

Comentários