Cotidiano

Policlínica de Posse realiza palestra sobre Migrantes e Refugiados

Ação orienta pacientes da importância de valorizar o ser humano

diario da manha

A equipe multiprofissional da Policlínica Estadual da Região Nordeste, em Posse, realizou nesta terça-feira, 21, uma palestra sobre migrantes refugiados. “Todos os migrantes e refugiados têm direito à proteção socioassistencial, que diz respeito à dignidade e à autonomia, sem discriminação de qualquer espécie ou comprovação vexatória da sua condição; priorizando aqueles que estiverem em situação de vulnerabilidade e risco pessoal e social”, explicou a assistente social Irani Monsueth.

Segundo Irani, a Lei 9.474/97 protege os refugiados, e a Lei 13.445/2017, protege os migrantes. Por meio dessas leis, busca-se o respeito e a dignidade. “Somos todos iguais é o que diz a Constituição. O Estado brasileiro tem a obrigação de acolher, dar apoio e muitas vezes não consegui fazer isso, muitas crianças e adolescentes migrantes, que apresentam dificuldades em transpor barreiras culturais como idioma, religião e hábitos, e muitas vezes em superar violências vivenciadas até a chegada ao acolhimento’, afirmou.

Os CREAS e Centros POPs realizam um trabalho para dar uma resposta humanitária a essas pessoas. “Existem deslocamentos forçados, motivados, por temor de perseguição por raça, nacionalidade, religião, opinião política, pertencimento a grupos sociais específicos e, no Brasil, também por violação de direitos humanos”, disse.

Hoje há mais de cem milhões de pessoas em deslocamento forçado que solicitam refúgio no mundo, sendo que 50% da população refugiada é de crianças e adolescentes que muitas vezes chegam desacompanhadas e separadas da família e possuem duas vezes mais dificuldade em frequentar uma escola. “Precisamos proteger e assegurar a garantia de direitos dos migrantes e refugiados”, concluiu a assistente social.

Comentários