Cultura

Mulheres dominam a agulha

The Flash Weekend Tattoo propõe maior visibilidade às mulheres tatuadoras

diario da manha

 

Johny Cândido,Da editoria DMRevista

 

Depois de anos sob o domínio dos homens, tatuagens e mulheres se unem em um segmento cada vez mais procurado em Goiânia. Há apenas dois anos atuando como tatuadora, Isabela Verri é vista pelos profissionais mais experientes como uma aposta neste segmento. “A Isa é aprendiz do Victor Rocha, um grande exemplo de um tatuador talentoso e conhecido, que aposta no talento de uma jovem tatuadora com um potencial incrível”, afirma Polim, uma das organizadoras do The Flash Weekend Tattoo – evento que acontece neste fim de semana dentro do Festival Bananada e propõe muita diversão e cor no Centro Cultural Oscar Niemeyer.

A proposta do Flash Tattoo é realizar pequenas tatuagens e sair do estilo habitual dos eventos de tatuagem que acontecem nos próprios estúdios. O evento, que já teve outras edições anteriores no espaço do Casulo Moda Coletiva, acontecerá durante o fim de semana do Festival Bananada e contará com 18 tatuadores diferentes. Dentre estes estarão as goianas Isabela Verri, Lays Alencar e Paula Dame, que fazem parte de um restrito time de profissionais do sexo feminino que ganha projeção neste segmento ainda dominado por homens. “Eu conheço cerca de 10 tatuadoras aqui de Goiânia. Dessas são poucas que têm estúdio próprio, a maioria trabalha em estúdios que não são delas”, afirma a tatuadora Paula Dame – uma das mais experientes da cidade. Apesar do aumento crescente de mulheres, para a tatuadora Isabela Verri “alguns estúdios contam com uma ou duas tatuadoras, mas a maioria ainda é homem”.

Maiene Horbylon, sócia do Casulo Moda Coletiva e dona de inúmeras tatuagens pelo corpo, diz que “o preconceito com a mulher ainda existe em vários lugares da sociedade e na tatuagem isso também acontece, tanto por parte dos colegas de profissão quanto pelos clientes que vão tatuar”. Ela, que também organiza o Flash weekend Tattoo, acredita que a arte e o profissionalismo do trabalho de várias tatuadoras vêm modificando este cenário. “Como a escolha da tatuagem é bem visual, os bons trabalhos se destacam independente do gênero do profissional que vai tatuar”. O fato é que a mulher parece ter que se esforçar muito pra conseguir provar seu talento e sua capacidade, mas a presença das mulheres em eventos como este ajuda a valorizar o trabalho feminino.

Toda esta crescente fez com que muitas pessoas até prefira tatuar com as profissionais femininas. “As mulheres são bastante cuidadosas com detalhes e grande parte costuma ter a mão mais leve do que tatuadores homens”, aponta Lays Alencar, enfatizando que “isso não é uma regra”. Paula Dame concorda, dizendo que “muitas pessoas preferem as mulheres pra tatuar, pois normalmente dizem que somos mais detalhistas e temos uma atenção maior com os clientes, embora eu ache que isso depende muito”. Opiniões à parte, o diferencial está realmente é na técnica e no estilo artístico de cada um – o que conta muito na hora de escolher o tatuador ou tatuadora – e, é claro,“no profissionalismo de cada um, independente do gênero”, conclui a jovem Isabela Verri.

 

Isabela Verri
Isabela Verri

 

tatuagem2

 

Lays Alencar
Lays Alencar

Comentários

Mais de Cultura

26 de junho de 2019 as 14:42

Sol em Câncer e a cura emocional

14 de junho de 2019 as 19:24

GIRO PELA FIEG

12 de junho de 2019 as 08:50

Quíron, o segredo da cura

11 de junho de 2019 as 08:36

Questão Social: Um breve olhar

7 de junho de 2019 as 08:46

Astrologia; seja bem-vindo, junho!

30 de maio de 2019 as 08:46

Alego promove seminário de Turismo

28 de maio de 2019 as 09:17

Festa junina no Goiânia 2

16 de maio de 2019 as 11:29

Vênus entra em Touro