Cultura

No 220 Volts

diario da manha

Johny Cândido,Da editoria DMRevista

Baseada no humorístico sucesso de um canal fechado, a peça 220 volts retorna à capital neste final de semana, no Teatro Rio Vermelho. O espetáculo, interpretado pelo ator Paulo Gustavo, tem duas sessões confirmadas, a de hoje, às 21h30 e a de amanhã, às 18h. A peça traz personagens femininas de maior destaque do programa Multishow como a Senhora dos Absurdos, a Mulher Feia e Ivonete. E o mínimo que se pode esperar de 220 Volts, além de humor ágil e inteligente, são risadas em altíssima voltagem.

Paulo Gustavo, que também protagoniza o espetáculo, assina o texto e a direção em parceria com Fil Braz. Além de seis bailarinos, o elenco traz Marcus Majella, já conhecido do público que acompanha o programa, Márcio Kieling, Gil Coelho e Daniel Bouzas.

Após quatro temporadas de sucesso na TV paga, o programa de humor 220 Volts ganha uma versão para o teatro, só com as personagens femininas de maior destaque de Paulo Gustavo. Esse é o terceiro espetáculo criado pelo ator, será e já foi apresentado em várias capitais do Brasil, inclusive duas vezes aqui em Goiânia.

O espetáculo traz seis esquetes que representam tipos totalmente diferentes entre si, mas que têm como elo a assinatura marcante do humor autoral de Paulo Gustavo. A primeira é a Mulher Famosa, uma brincadeira com a questão da fama; a segunda, a Mulher Feia, defende a ideia de que quem deve dar palestra sobre beleza é justamente quem não é belo, porque quem o é não precisa se preocupar com isso; na sequência, a já antológica Senhora dos Absurdos, uma mulher preconceituosa que mora no Leblon, odeia gays, negros e todos aqueles que considera minoria; a Vagaba, quarta personagem, é totalmente contra o casamento ou qualquer tipo de compromisso; a quinta é uma apresentadora de programa de culinária mau caráter que cozinha e vende produtos. Por último, a Ivonete, a Negona, uma sambista que mora no morro.

 

A visibilidade do humor ágil e inteligente

O ator Paulo Gustavo ganhou visibilidade no final de 2004, quando integrou o elenco da peça Surto, comédia de grande sucesso de público e crítica. Na ocasião, apresentou a divertida Dona Hermínia, que viria se tornar uma de suas personagens mais conhecidas. Em janeiro 2005, deixou o elenco de Surto e passou a integrar a peça Infraturas, de autoria do ator e dramaturgo Fábio Porchat, que esteve em cartaz até o início de 2006, sob a direção da atriz Malu Valle.

Já 2006, ele estreou o espetáculo Minha Mãe É Uma Peça, cujo marcaria o momento no qual el e sentiu que sua carreira alavancou. No monólogo, com texto de sua autoria, o ator volta a interpretar a aclamada Dona Hermínia. Construída através de suas observações domésticas e vivenciais, ela reúne os aspectos mais cômicos da personalidade de uma típica dona de casa de meia idade, sempre à beira de um ataque de nervos. Claramente inspirada na mãe do ator, representa uma homenagem singela e divertidíssima a todas as mães. A brilhante atuação lhe rendeu uma indicação ao Prêmio Shell de melhor ator

.

Ele não para,é hiperativo!

Depois de quatro anos de sucesso com Minha Mãe É Uma Peça, Paulo sobe ao palco sozinho, sem maquiagem e sem personagem. Isso para apresentar o espetáculo Hiperativo, dirigido por Fernando Caruso. Nesse stand-up comedy, o ator satiriza o comportamento e as relações humanas, mostrando como nossas neuroses e paranoias podem ser engraçadas.

Fora dos palcos, participou de produções como Minha Nada Mole Vida, A Diarista, Casos E Acasos e Sítio Do Pica-Pau Amarelo. Mas ficou conhecido principalmente pela atuação no filme e seriado homônimo Divã, onde interpretou o cabeleireiro Reneè. Desde 2011 apresenta o humorístico 220 Volts na TV e esse ano o adaptou para o teatro.

 

ENTREVISTA – PAULO GUSTAVO POR PAULO GUSTAVO

Em entrevista ao DMRevista o inusitado, educado, carismático, engraçado, entre tantos outros adjetivos ator e comediante Paulo Gustavo concedeu um momento de sua atenção em tom descontraído para falar do espetaculo 220 volts, vida profissional e pessoal, TV aberta e futuro.

DMRevista – Qual sua expectativa para a apresentação na capital?

Paulo Gustavo – São as melhores, tenho certeza que será um máximo e estou superansioso. Porque os goianos são interativos, pois já me apresentei no Madre Esperança Garrido, no Teatro Rio Vermelho e na cidade de Anápolis.

DMRevista – O que o público pode esperar da sua apresentação?

Paulo Gustavo – Podem esperar muita comédia, risadas e alto-astral, porque vou dar o meu melhor mesmo estando impossibilidade de fazer todas as coreografias e desenvolturas do espetáculo por estar com um pequeno problema no braço. Até mesmo porque são seis cenários diferentes para poder surpreender quem estiver presente.

DMRevista – Como foi adaptar 220 Volts para a versão do teatro, já que você faz ele na TV?

Paulo Gustavo – O formato é o mesmo, mas tive que fazer algumas adaptações. Porque na TV faço para a câmera e no teatro é para uma plateia numerosa e por isso tem que tonar minha voz uma oitava acima.

DMRevista – Das seis personagens que você interpreta, tem alguma de sua preferência e que a público vibra mais?

Paulo Gustavo – Eu interpreto a Mulher Famosa na qual me inspirei em Beyoncé, a Mulher Feia, Senhora dos Absurdos, Maria Alice apresentadora de um programa de culinária, a Vagaba e a Ivonete a famosa negona da classe C. Essa negona, nego pira quando eu chego com ela, nego vai ao delírio nas risadas.

DMRevista – Por que se basear tanto no universo feminino?

Paulo Gustavo – As personagens femininas são mais engraçadas, dão mais “pano pra manga”, o público gosta mais. Cá pra nós as mulheres são muito mais divertidas do que nós homens.

DMRevista – Qual é sua inspiração para a criação de seus personagens?

Paulo Gustavo – Eu tiro da vida para criar. Observo as pessoas nas ruas, vou guardando tudo dentro da minha memória e a minha maior qualidade é ser um cara muito observador.

DMRevista – TV aberta está nos seus planos para o futuro?

Paulo Gustavo – Essa pergunta me persegue. Mas eu realmente não tenho tempo para ficar parado em um só lugar, porque fazer TV demanda disponibilidade quase que integra para desempenhar um bom trabalho e eu gosto de fazer tudo na minha vida com excelência. Acabei de ser chamado para participar da novela das sete Geração Brasil, o autor Filipe Miguez escreveu quatro capítulos para mim, mas infelizmente tive de recusar por conta da turnê do 220 volts. Tenho contrato com TV fechada atá 2017, então hoje TV aberta não está nos meus planos, mas para o futuro sem dúvida.

DM Revista – Você tem várias esquetes no youtube e é inteirado nas redes sociais. Como é o retorno do público no meio virtual?

Paulo Gustavo – A internet é um lugar bom e ruim onde todos tem acesso rápido, mas tem muitas pessoas que fazem comentários mal educados e covardes. Mas o meu saldo positivo de retorno dos meus seguidores supera qualquer situação negativa.

 

A apresentadora de programa de culinária mau caráter que cozinha e vende produtos
A apresentadora de programa de culinária mau caráter que cozinha e vende produtos
A apresentadora de programa de culinária mau caráter que cozinha e vende produtos
A apresentadora de programa de culinária mau caráter que cozinha e vende produtos
Vagaba, quarta personagem, é totalmente contra o casamento ou qualquer tipo de compromisso
Vagaba, quarta personagem, é totalmente contra o casamento ou qualquer tipo de compromisso
Mulher Feia, defende a ideia de que quem deve dar palestra sobre beleza é justamente quem não é belo
Mulher Feia, defende a ideia de que quem deve dar palestra sobre beleza é justamente quem não é belo
Senhora dos Absurdos, uma mulher preconceituosa que mora no Leblon, odeia gays, negros e outros
Senhora dos Absurdos, uma mulher preconceituosa que mora no Leblon, odeia gays, negros e outros

Serviço

Espetáculo “220 volts” com Paulo Gustavo

Quando: Hoje (sábado), às 21h30 e amanhã (domingo), às 18h.

Onde: Teatro Rio Vermelho (Rua 4 nº 1400 – Centro)

 

Valor dos ingressos:

Plateia Inferior

Setor VIP (Fila de A até M)

R$ 150 (inteira) / R$ 75 (meia-entrada)

Setor B (Fila de N até T):

R$ 120 (inteira) / R$ 60 (meia-entrada)

Plateia Superior

(Fila A até F)

R$ 100 (inteira) / R$ 50 (meia-entrada)

(Fila G até Fila J)

R$ 50 (inteira) / R$ 25 (meia-entrada)

Clientes e funcionários Avianca tem 20% de desconto na Inteira em todas as plateias. Ingressos à venda: Cartão de crédito: www.compreingressos.com e call center 4052-0016 / Bob´s  Drive Thru – 3214-1052 / Submarino Festas – 3261-1775

Informações: (62) 3219-3300 / 3400 / 3473

Gênero: Comédia

Comentários

Mais de Cultura

26 de junho de 2019 as 14:42

Sol em Câncer e a cura emocional

14 de junho de 2019 as 19:24

GIRO PELA FIEG

12 de junho de 2019 as 08:50

Quíron, o segredo da cura

11 de junho de 2019 as 08:36

Questão Social: Um breve olhar

7 de junho de 2019 as 08:46

Astrologia; seja bem-vindo, junho!

30 de maio de 2019 as 08:46

Alego promove seminário de Turismo

28 de maio de 2019 as 09:17

Festa junina no Goiânia 2

16 de maio de 2019 as 11:29

Vênus entra em Touro