Cultura

Sol em Câncer e a cura emocional

diario da manha

Por Blender Barbosa

“A ti, Câncer, dou a missão de implantar no coração do homem a emoção. Minha ideia se fará sentir, por meio de risos e lágrimas, para que todo o conhecimento adquirido atinja plenitude interior. Tu multiplicarás os sentimentos com teu instinto de preservação, de modo que os homens se reúnam em famílias. Para que realizes um bom trabalho, dou-te a provação da fragilidade para dominares e, como bênção, concedo-te o dom da fertilidade”, disse Deus a Câncer, durante uma reunião com os doze signos. E Câncer se pôs no céu como a constelação de caranguejo.  

Em suas andanças celestes, Apolo, o deus Sol, entrou, dia 21 de junho,  na constelação de Câncer – o quarto arquétipo do zodíaco e casa marítima da deusa mãe – onde ficará até 20 de julho. Aqui, a experiência do Astro-rei se dá no campo emocional. Apolo é convidado a experimentar todos os aspectos sentimentais e, desta forma, se torna receptivo, passivo, sensível e profundo. Mas, infelizmente, seu fardo passa a ser carregar as dores do mundo na forma de emoções. Então, seu coração se abre em excesso e dói. Sua boca se cala em um choro silencioso, mas seus olhos, sempre marejados, refletem a sofrida verdade do mundo. 

Da passagem do Sol pelas estrelas do caranguejo nascem seus filhos, os cancerianos. Estes nativos carregam a energia da mãe. São tenazes, altruístas, familiares e dotados com o poder da intuição. Mas, mesmo sendo verdadeiros canais da alma e guardiões das emoções, são desafiados, justamente nesses aspectos, para que cumpram suas missões no plano terreno de maneira efetiva. 

O maior desafio destes nativos é a permissão da cura das dores que carregam. O conselho de Câncer é que todos, cancerianos ou não, sejam libertos das mágoas e dos sentimentos há muito tempo guardados. Só assim haverá espaço para circular o livre fluxo da energia cósmica abundante – a vida. 

Para todos os signos

A entrada do Sol em Câncer sinaliza, também, que o inverno chegou aqui no Hemisfério Sul e, apesar de não ter neve, a influência vibracional desta estação nos convida a refletir. Você se preparou durante os meses anteriores? Se atentou ao seu interior? Se protegeu e protegeu o seu próximo? Agiu o suficiente para que pudesse se recolher agora? Essas são perguntas a serem feitas neste exato momento. 

Este é um período importante: mais uma oportunidade de renovação. A energia de Câncer está lhe convidando a olhar ao fundo do âmago e perceber que você é vários corpos em um só e para viver em equilíbrio é necessário que sua mente, corpo, alma e espírito estejam alinhados, em unidade. 

Com a energia de Câncer, o universo sugere que olhemos para nosso íntimo, a fim de renovar nossas emoções, e também para o íntimo do outro. É preciso compreender que nossa libertação, cura e transmutação emocional se dá, em certa medida, no momento em que passamos a reconhecer o outro como nosso igual. 

Somos todos corações a serem curados e espíritos em constante processo de evolução. Portanto, precisamos reconhecer que nós somos o outro; o outro  precisa de nós; e nós precisamos do outro. Assim, a partir dessa consciência, as verdadeiras dádivas de bênçãos estarão sendo permitidas em nossas vidas. 

Câncer diz que é preciso olhar para o outro com olhos de equidade, amor e perdão, mesmo aqueles nos feriu. Perdoar não é um processo simples, mas é libertador. A partir do momento em que você fecha seus olhos, olha no fundo e diz “eu me liberto disso” o universo passa a trabalhar ao seu lado. 

No início do ano astrológico, em março, Áries, Touro e Gêmeos mostraram que é preciso um olhar do EU, do fazer, pensar e agir. Agora, em Câncer, esse olhar se volta para o interior, para o sentir, mas também para a percepção do outro. São dois ensinamentos propostos para este novo ciclo que se inicia: se permita sentir suas emoções, curando o que deve ser curado, e perceba o outro como igual no processo de cura e transformação. 

Estamos no ano de Marte, deus da guerra, e com a entrada no primeiro signo de água sinaliza que é preciso nos livrar das velhas amarras. A libertação dos padrões negativos é necessária para que novas rotas sejam traçadas. O coração deve ser limpo para que novas emoções adentrem. Entenda: a vida é preciosa demais para que empreguemos nosso tempo cultivando sentimentos ruins. Isso desgasta, mas desgasta apenas você mesmo. 

“Sinta, sinta-se e cure-se”, diz Câncer.  

 

tags:

Comentários

Mais de Cultura

14 de junho de 2019 as 19:24

GIRO PELA FIEG

12 de junho de 2019 as 08:50

Quíron, o segredo da cura

11 de junho de 2019 as 08:36

Questão Social: Um breve olhar

7 de junho de 2019 as 08:46

Astrologia; seja bem-vindo, junho!

30 de maio de 2019 as 08:46

Alego promove seminário de Turismo

28 de maio de 2019 as 09:17

Festa junina no Goiânia 2

16 de maio de 2019 as 11:29

Vênus entra em Touro

8 de maio de 2019 as 10:17

Os signos e o corpo humano