Cultura

Lanterna Mágica bate recorde de inscrições

Cineastas de mais de 80 países se inscreveram no 4º Lanterna Mágica Festival Internacional de Animação; ao todo foram mais de 1.250 filmes inscritos, 51 selecionados, distribuídos em três mostras: Trajetória Goiana e as competitivas Internacional e Nacional de curtas

diario da manha

Texto: Carlos Pereira

Filmes de todas as partes do mundo foram selecionados para o 4º Lanterna Mágica Festival Internacional de Animação que, neste ano, devido à pandemia, será realizado em formato virtual entre os dias 21 a 30 de maio de 2021. O festival tem parceria com a Cardume curtas https://cardume.tv.br/. 

Cineastas de mais de 80 países se inscreveram e, ao todo, foram mais de 1.250 filmes inscritos: 51 selecionados e distribuídos em três mostras, a Trajetória Goiana e as competitivas Internacional e Nacional de curtas.

O 4º Lanterna Mágica Festival Internacional de Animação é uma produção da Caolha Filmes e esta iniciativa de fazer o festival online se tornou possível por meio da Lei Aldir Blanc de Emergência Cultural, no edital de Premiação de Seleção de Ações Culturais e Artísticas. 

Segundo a direção, o Festival vem buscando sua consolidação na agenda cultural de Goiânia, incentivando a produção audiovisual e a formação de novas plateias, através das mostras e atividades complementares, instigando novas discussões sobre a produção de filmes de animação e a busca de mercado para esta categoria cinematográfica. 

A produtora cultural Débora Resendes, uma das organizadoras do Festival, está animada, mesmo com todas as dificuldades, devido à pandemia, com a edição online do 4º Lanterna. “Nós da produção estamos muito animados com as respostas obtidas neste novo formato e a possibilidade de atingirmos mais pessoas. O público goiano e o brasileiro, em geral, têm pouco acesso aos filmes de animação independente, por isso acreditamos que o festival fortalece muito o mercado e incentiva novas produções”, analisa.

“Os filmes ficarão disponíveis gratuitamente durante uma semana através da plataforma Cardume Curtas, teremos na programação o laboratório Hospital de Projetos Animados, além de painéis e bate papos com realizadores. Convidamos todos a conferirem nossa programação pois acreditamos que o público vai se surpreender com a qualidade dos filmes selecionados”, convoca a produtora.  

Com 5 anos de existência, Débora conta que esta edição do Festival é a primeira 100% digital, e está sendo realizada neste formato devido à pandemia do novo coronavírus que atingiu com grande força toda a cadeia produtiva da economia criativa brasileira e mundial. Nesta 4ª edição, a produtora afirma que a coordenação do Lanterna Mágica se preocupou em trazer filmes de animação que dificilmente chegariam às salas de cinema comerciais, produções independentes e de arte que necessitam dos festivais para cumprir uma circulação que chegue a diferentes públicos.

A direção reforça a qualidade do evento lembrando que esta edição online bateu recorde de inscrições atingindo mais de 80 países de todas as regiões do mundo. “No total foram mais de 1.250 inscrições. O Festival ainda conta com um laboratório especial para incentivar novos projetos de animação. Lembrando que o acesso ao 4º Lanterna Mágica Festival internacional de Animação, na plataforma https://cardume.tv.br/,  é gratuito e o público poderá votar no filme que mais gostou”, conclui Débora.

Confira abaixo lista dos filmes selecionados para esta 4ª edição do Lanterna Mágica Festival Internacional de Animação.

MOSTRA COMPETITIVA INTERNACIONAL DE CURTAS  

“616” de Hiram G. Rodriguez (México)

“A Tasty Fish” de Chihiro Tazuro (Japão)

“Alba” de Elva Arrieta (Peru)

“An Elephant on the Moon” de Benjamin Barthélémy (Reino Unido)

“Bodies That Fight” de Catalina Ibañez (Chile)

“Candy Can” de Anton Octavian (Romênia)

“Carne” de Camila Kater (Brasil)

“Colorful” de Jae hyeon Cha e Byeong Hyeon Hwang (Coreia do Sul)

“Delphine, No Dogs” de Anayis Der Hakopian (Reino Unido)

“Don’t Drop the Goose” de Jurie Visagie (África do Sul)

“I Am Not Beating You Up – B Side” de Andreia Albernaz (Portugal)

“It Will Never Be” de Mateja Stefinscak (Croácia)

“Juan Viento” de Carlos Farina (Argentina)

“Left Unsaid” de Mei Lian Hoe (Reino Unido)

“Migrants” de Hugo Caby, Antoine Dupriez, Aubin Kubiak, Lucas Lermytte e Zoé Devise (França)

“Mom, Dad and I” de Savkina Anastasia (Rússia)

“Mr. & Mrs Mantis” de Maya Kahanovitz (África do Sul)

“My Mother´s Plan” de Juliana Erazo (Colômbia)

“Napo” de Gustavo Ribeiro (Brasil)

“One Infinite” de Yu Zhen, Xiao Jinzhe, Zhao Yicheng e Zhang Wenjia (China)

“Red. The Color Within” de William Javier La Portilla Medrano (Peru)

“Ribbon” de Yamini (Índia)

“Roberto” de Carmen Córdoba González (Espanha)

“Robin” de Saar Deleu (Bélgica)

“Routes” de Alejandro Imondi (Argentina)

“Sad Beauty” de Arjan Brentjes (Países Baixos)

“Something Borrowed” de Micky Wozny (Reino Unido)

“The Sea Within The Room” de Fang-Yi Hsueh (Taiwan)

“This side, Other side” de Lida Fazli (Irã)

“To the Closet” de Vivien Forsans (Canadá)

“Tower Made From Blocks” de Krzysztof Kuźnicki e Magdalena Myszkiewicz (Polônia)

“You Are Not a Kiwi” de Maria Saveleva (Estônia)  

MOSTRA COMPETITIVA NACIONAL DE CURTAS  

“Antenor, o homem da cabeça de papelão” de Aléxia Carina (SP)

“Carne” de Camila Kater (SP)

“Claudete e o Bolo” de Fhádia Salomão (SP)

“Contra-filé” de Pedro Luá (RJ)

“Exterminador” de Gabriel Palmieri e Gustavo Hikaru (SP)

“Gabi” de Felipe Ferreira (RJ)

“Gato the Cat: um gato sem botas” de Paula de Abreu (MG)

“Missão Berço Esplêndido” de Joel Caetano (SP)

“Muda” de Isabella Pannain (MG)

“Napo” de Gustavo Ribeiro (PR)

“Nimbus” de Marcos Buccini (PE)

“O Homem das Gavetas” de Duda Rodrigues (PE)

“Òpárá de Òsún: quando tudo nasce” de Pâmela Peregrino (BA)

“Quando a chuva vem?” de Jefferson Batista (PE)

“Tandem” de Vivian Altman (SP)


tags:

Comentários