Cultura

Salão de Arte de Britânia chega a terceira edição e abre inscrições com total de R$ 50 mil em premiação

Serão selecionados 14 artistas, sendo que cada um receberá R$ 1 mil pela participação, e seis serão escolhidos para os prêmios de aquisição no valor de R$ 6 mil para cada um, totalizando R$ 50 mil

diario da manha
Foto: Divulgação

Estão abertas até 30 de abril as inscrições para o 3º Salão de Arte em Pequenos Formatos do Museu de Arte de Britânia (Mabri), a 315 Km de Goiânia. Serão selecionados 14 artistas, sendo que cada um receberá R$ 1 mil pela participação, e seis serão escolhidos para os prêmios de aquisição no valor de R$ 6 mil para cada um, totalizando R$ 50 mil. A divulgação da primeira etapa será em 20 de maio e os vencedores serão conhecidos cinco dias depois. Além disso, todas essas obras vão integrar uma exposição virtual no dia 15 de junho.

As inscrições são gratuitas e serão feitas pelo link forms.gle/U8JvmSRGAjygx3qr8. Para participar, as obras devem seguir necessariamente o critério dimensional, respeitando para bidimensionais o limite de 20 x 20 cm e para tridimensionais 20 x 20 x 20 cm, produzidas a partir de 2020. Já os vídeos devem ter no máximo dois minutos de duração e performances cinco, sendo que devem ser enviados com a máxima resolução. Cada artista terá o direito de concorrer com até dois trabalhos, podendo, ainda, participar de um trabalho coletivo.

O conjunto de trabalhos premiados será incorporado ao acervo do Mabri. O Salão de Britânia chega a 3ª edição depois de um recorde de inscrições na edição anterior realizada em 2020. Foram quase dois mil concorrentes de quase todo o Brasil. O aumento foi de 700% em relação ao primeiro ano, que contou com 250. Dos 26 estados e do Distrito Federal, apenas concorrentes do Amapá ficaram de fora. São Paulo, Rio de Janeiro e Goiás, respectivamente, foram os campeões de inscritos. A organização espera superar essa marca em 2022.

Britânia, no noroeste goiano, é considerada a menor cidade do País (em número de habitantes – com pouco mais de 5 mil) a ter um museu de arte. O Mabri foi inaugurado em 2009 e já conta com mais de 200 trabalhos no seu acervo, de nomes como Waldomiro de Deus, Fernando Ekman, Iza Costa e G. Fogaça. O primeiro salão foi realizado em 2019 e o segundo em 2020. A nova edição foi contemplada pelo Edital de Artes Visuais – Lei Aldir Blanc.

Leia também:

Comentários