DM Autos

"Expedição Nissan: À procura do início do Brasil" cumpre segundo dia no Pará

diario da manha

Norton Luiz
Editor de Veículos

No segundo dia da “Expedição Nissan: À procura do início do Brasil”, no Pará, os aventureiros – jornalistas, convidados e pesquisadores – visitaram os sítios arqueológicos da Caverna da Pedra Pintada e o Painel do Pilão, que contam de pinturas rupestres que datam mais de 12 mil anos. É um dos sítios mais importantes do estado nortista e do país.

O comboio de 15 Nissan Frontier partiu bem cedo do distrito de Alter do Chão, no oeste do Pará, rumo ao Parque Estadual Monte Alegre. Para chegar ao destino, que fica do lado esquerdo do rio Amazonas, foi necessária uma viagem de 2 horas de balsa. DMAutos integrou a terceira etapa da expedição, realizada no Mato Grosso.

Lá, os expedicionários visitaram a Caverna da Pedra Pintada, que foi descoberta em pesquisas realizadas no início dos anos 1990. As escavações no local revelaram, nas camadas mais profundas, ossos, dentes e pigmentos de pinturas e pedaços das paredes internas pintadas com figuras com 12 mil anos. Muitas delas retratam animais, plantas e até cenas de parto. E as pinturas aparecem até na parte mais interna da caverna, onde a luz natural não entra, o que é uma característica rara.

Depois o grupo seguiu para a Serra do Paituna para visitar o Paredão do Pilão. As pinturas desse local estão a cerca de 100 metros de altura em relação ao rio Amazonas e destacam-se pelas formas geométricas. Entre as representações de animais, uma figura lembra um peixe-boi.

Para chegar aos sítios arqueológicos, as picapes estão enfrentando terrenos acidentados que colocam à prova as qualidades de fora de estrada do modelo. Os aventureiros utilizam unidades das versões topo de linha SL e da intermediária SE da picape mais premiada de 2017 pela imprensa especializada, com onze reconhecimentos como “Melhor Picape do Ano”.

Os expedicionários estão sendo acompanhados por Edith Pereira, arqueóloga com ênfase em Arqueologia Pré-Histórica e em arte rupestre, pré-história da Amazônia. Graduada em Licenciatura em História pela Universidade Federal do Pará, Edith tem mestrado em História pela Universidade Federal de Pernambuco e doutorado em Geografia e História pela Universidade de Valência, Espanha (1996). Atualmente é pesquisadora Titular do Museu Paraense Emílio Goeldi.

“Expedição Nissan: À procura do início do Brasil”

A expedição, que já visitou sítios arqueológicos em Minas Gerais, Piauí, Mato Grosso e Bahia, segue o compromisso da Nissan de estar cada vez mais presente no dia a dia dos brasileiros e, assim, une os produtos da marca com ações que contribuam com o país. No caso, contribuir com a cultura e a pesquisa científica ao divulgar o rico acervo de pinturas rupestres do Brasil, que muitas vezes é mais conhecido e admirado por estrangeiros do que pelos brasileiros.

Em 2014, a Nissan inaugurou seu Complexo Industrial brasileiro, em Resende (RJ) e, desde então, se integra cada vez mais a sociedade e apoia o desenvolvimento social e cultural do país. A empresa japonesa acredita que existem pontos importantes da história do Brasil, e o trabalho de muitos brasileiros, que são pouco conhecidos da população. Por isso, decidiu iniciar expedições temáticas para levar convidados e jornalistas para ver de perto toda a riqueza da história do país e ajudar a divulgá-la, apoiando a cultura.

Para chegar aos destinos de cada etapa, o grupo de expedicionários segue a bordo de 15 unidades da nova Nissan Frontier, modelo que começou a ser vendido no mercado brasileiro em março de 2017.

Comentários

Mais de DM Autos