DM Autos

Nissan Frontier 2019 produzida na Argentina traz de volta a versão Attack

diario da manha
Nissan Frontier Attack

Norton Luiz
Editor de Veículos

A Nissan Frontier tem novo endereço de produção. Agora já sendo fabricada na nova unidade industrial da Nissan na América do Sul, localizada em Córdoba, Argentina, a Frontier não ganha apenas um novo endereço, mas também mais versões e segurança, equipamentos de tecnologia inéditos no segmento, além de novidades, como o teto solar, e aperfeiçoamentos mecânicos e dinâmicos.

Nissan Frontier Attack

A nova linha da picape será uma das atrações da Nissan no Salão do Automóvel de São Paulo e suas vendas começam ainda em novembro. De acordo com a versão, que agora são cinco – S 4×4, Attack 4×2 e 4×4, XE 4×4 e LE 4×4 –, a linha Nissan Frontier passa a ter equipamentos como a Visão 360º com Sistema Inteligente de Câmeras, Detector Inteligente de Objetos em Movimento, teto solar, novo sistema multimídia A-IVI com tela de oito polegadas, sistema Isofix, seis airbags, entre outros.

A picape da 12ª geração, que antes vinha do México para o Brasil, traz também novidades no interior, na suspensão, nas rodas, na direção, na motorização, na transmissão e no sistema de tração. O modelo passa a oferecer versões com tração 4X2 ou 4X4, câmbio manual ou automático e o motor 2.3 turbodiesel disponibiliza a opção de uma ou duas turbinas, que faz a potência variar conforme a configuração adotada.

Nissan Frontier Attack

Além do diferencial de ter um chassi altamente resistente (o atual é quatro vezes ais forte do que o anterior), o utilitário mantém em sua linha 2019 equipamentos como os inéditos – para o segmento – bancos “Gravidade Zero” inspirados na tecnologia desenvolvida pela NASA para eliminar a fadiga e melhorar o conforto para o condutor.

A picape cona ainda com controles de tração e estabilidade (VDC – Vehicle Dinamic Control); freios ABS com controle eletrônico de frenagem (EBD) e assistência de frenagem (BA); controles automático de descida (HDC) e auxílio de partida em rampa (HSA), luz de freio de LED (CHMSL), luzes diurnas (DRL) e muitos outros.

Sistema inédito

Inédito no segmento, a navegação “porta-a-porta” é outra novidade. Com ela, antes de se dirigir aonde a Nissan Frontier está estacionada, basta colocar o destino no aplicativo “Door-To-Door Navigation”, que está disponível sem custos na Play Store e no iTunes e deve estar instalado no smartphone do proprietário. Além de ajudar na localização da picape em um estacionamento grande, por exemplo, ao ligar o rádio, a rota para o destino será automaticamente transferida para a tela do multimídia.

Nissan Frontier Attack

O painel de instrumentos em TFT também recebe aperfeiçoamentos. Ele ganha novas opções de telas informativas: velocímetro digital, temperatura externa e bússola digital. O sistema de direção foi modificado e está ainda mais preciso nas respostas e bem mais leve para as manobras. No banco traseiro, os assentos e encosto foram remodelados para aumentar o conforto dos passageiros.

Suspensão multilink

A suspensão traseira com sistema multilink e molas helicoidais (única entre os concorrentes diretos) e que trabalha em conjunto com um eixo rígido tem nova calibração para permitir a adoção das novas rodas aro 18 calçadas em pneus Bridgestone (para a versão LE). E a suspensão dianteira de arquitetura com braço duplo assistido por barra estabilizadora ganhou nova geometria.

Nissan Frontier Attack

Com a aplicação de para-brisas acústicos e isolamentos sonoros no para-lama, na tampa do motor, no console central e no painel, a cabine ficou até 5dB mais silenciosa, de acordo com as medições da Nissan. É o equivalente à redução quando um caminhão passa a rodar de 90 km/h para 60 km/h.

A picape Frontier 2019 passa a ser também a única do segmento a oferecer teto solar, diferencial que melhora a ventilação e o fluxo de ar, além da iluminação. E ganha, em todas as versões, o travamento automático das portas com o carro em movimento.

Frontier Attack

A picape que ganha agora identidade argentina resgata outra tradição da marca Frontier: o sobrenome Attack, vendida na picape Attack entre 2006 e 2012. No Salão de Buenos Aires 2017, a Nissan apresentou a “Attack Concept”, que dava pistas de como seria a identidade visual da picape de série.

Nissan Frontier Attack

Como modelo 2019 a Attack trará adesivos laterais com o nome da versão e a inscrição “4×4”, estribos laterais, barra tubular (popularmente conhecida como santantônio) e rack de teto na cor preta, pneus todo-terreno, rodas escurecidas, o novo sistema multimídia A-IVI e controle de áudio no volante.

A versão Attack será oferecida nas opções 4×2 (com motor de turbo simples e 160 cavalos de potência) e 4×4 (com duplo turbo e 190 cavalos). Além da Attack, a linha 2019 da Frontier será composta pelas versões S 4×4 (voltada ao trabalho), XE 4×4 e LE 4×4, essa última a mais completa.

Mesmo motor, duas potências

A Nissan também está resgatando uma outra tradição da linha Frontier, a de oferecer duas opções de potência para o mesmo motor. As versões S 4×4 e Attack 4×2 têm 160 cavalos de potência, enquanto as restantes (Attack 4×4, XE 4×4 e LE 4×4) desenvolvem 190 cavalos.

O motor para toda a linha é o mesmo turbodiesel 2.3 16V sendo que a diferença está na quantidade de turbinas disponíveis (uma ou duas). O motor trabalha associado à nova transmissão manual de seis velocidades (exclusiva para a versão S 4×4) e a automática de sete velocidades com modo sequencial para trocas manuais.

Nissan Frontier Attack

 

Comentários