DM Autos

Em boa forma, Chevrolet Cruze ensaia despedida do mercado

Teste: Andamos na versão Midnight do modelo que deve encerrar seu ciclo em 2023.

diario da manha

Um gostinho de despedida marcou os dias em que estive a bordo do Chevrolet Cruze Midnight 2022. Uma pena que um sedã tão ajeitado em todos os sentidos possa estar se despedindo do mercado a partir de 2023.

Não faz sentido o que está previsto para o Cruze, mas o mercado é ingrato com alguns modelos e dita as normas conforme as mudanças de comportamento do consumidor.

No geral, os sedãs perderam espaço e parecem sem fôlego para resistirem à debandada dos consumidores para os SUVs, hoje os donos da situação. Dos sedãs mais vendidos, o Toyota Corolla ainda se dá bem no segmento, sendo mais vendido, e o Nissan Versa é visto com bons olhos com sua nova geração.

Apelo esportivo

Na desaceleração dos sedãs, a Honda tirou de linha o Civic nacional e agora está importando o modelo dos Estados Unidos. Nesse sentido, o Chevrolet Cruze, fabricado na Argentina, só enxerga o caminho da saída e vai levar junto a versão Midnight.

Trata-se de uma das mais atraentes propostas de apelo esportivo que o modelo entregou ao público consumidor.

Uma pena mesmo o Chevrolet Cruze estar de partida, embora a General Motors não tenha ainda se manifestado oficialmente sobre o assunto. Pode ter reviravolta? Muito difícil porque o modelo, embora seja um sedã com muitas qualidades, não sai da terceira posição em vendas, ficando atrás do Corolla e do Civic.

O Chevrolet Cruze Midnight, versão testada pelo DMAutos, foi lançado no começo de 2022 para oxigenar a vida do sedã médio da General Motors. De roupagem diferenciada e visual escurecido, o Cruze Midnight está posicionado entre a versão de entrada LT e a LTZ do modelo. Sua aparência esportiva chama a atenção por onde passa.

O Cruze Midnight é bem equipado, oferece tons escurecidos no seu todo e um bom acabamento. Seu visual é bastante atraente, mas no seu preço de R$ 140 mil caberiam mais equipamentos, principalmente nos quesitos de segurança. O valor cobrado justificaria até mesmo o uso de um material com textura macia no painel.

Embora tenha um bom acabamento, o Cruze Midnight fica devendo quando comparamos com rivais diretos, como o Toyota Corolla e o aposentado Civic de 10ª geração. Há material sensível ao toque na cabine, é verdade, mas a presença de plástico duro no painel, por exemplo, foi além do que gostaríamos de ver em um modelo dessa categoria.

Medidas

Sedã que traz também o custo/benefício para atrair consumidores, o Cruze Midnight mede mede 4.665 metros de comprimento, 1.807 metro de largura, 1.484 metro de altura e 2.700 metros de entre-eixos. Seu porta-malas tem capacidade para 440 litros.

O motor 1.4 turbo flex do Chevrolet Cruze Midnight rende 153 cv de potência e 24,5 kgfm de torque, com etanol gasolina, e 150 cv e 24,0 kgfm de torque com gasolina. O propulsor é associado à transmissão automática inteligente de seis marchas. O conjunto proporciona excelente desempenho e silêncio a bordo.

O casamento do motor e câmbio do Cruze Midnight tem boa pegada, mas para ser mais esportivo deveriam ser caibrados para uma direção com um pouco mais de adrenalina. O modelo privilegia o conforto, mas nem por isso deixa de proporcionar emoção com o pé no acelerador.

O baixo consumo é um dos pontos fortes do Cruze.O design do modelo com linhas aerodinâmicos fluídas ajuda na economia de combustível, como o frontal de pouca altura. Segundo o Inmetro, o carro faz 7,8 km/l de etanol na cidade e 9,8 km/l na estrada, números que passam para 11,3 km/l e 14 km/l com gasolina, respectivamente.

Com tanque de 52 litros, chega-se até a 728 km de autonomia teórica, ainda levando em conta os dados do Inmetro.

Andamos com gasolina no tanque. Acelerando de forma mais tranquila o consumo na cidade ficou um pouquinho abaixo do oficial: 10,6 km/l na cidade e 13,2 na estrada. Dos pecados que a versão comete um é o de não oferecer as trocas de marchas em aletas atrás do volante, exceto no botão do câmbio.

Interior

No interior em tom escuro da versão Midnight destaca-se a em completa central multimídia MyLink de 7”, com integração com smartphones através de Android Auto e Apple CarPlay, que dispensa cabo USB. Ela compensa por oferecer boa resolução, mas é pequena para um carro do porte do Cruze.

Essa central oferece o nível quatro de conectividade. Trata-se do mais avançado sisema disponível no mercado. Aqui os destaques são o MyLink com Apple Car Play, Android Auto, Wi-Fi nativo, OnStar para serviços de emergência e segurança, myChevrolet app para comandar funções do carro a distância. Inclui-se também a tecnologia OTA (over the air), capaz de promover atualizações de sistemas eletrônicos do veículo via internet.

O Chevrolet Cruze Midnight poderia ter mais equipamentos de segurança ativa, assim como é sua versão Premier, a mais completa. Os concorrentes são mais equipados e custam quase que o mesmo valor. Quem sabe custando um pouco abaixo dos R$ 140 mil pelo que oferece a versão não ajudaria a General Motors no segmento dos sedãs. 

Chevrolet Cruze Midnight

O Chevrolet Cruze Midnight estreia um novo conceito para o modelo, assim como de bom proporcionam para outros modelos da GM que carregam o nome Midnight. Além do tradicional preto Ouro Negro, o comprador da versão Midnight pode optar pelas cores metálicas Azul Eclipse e o Cinza Satin Steel para a carroceria.

Na cabine do Chevrolet Cruze Midnight o acabamento é predominantemente escurecido, como sugere o nome da versão. A versão nasceu inspirada em tendências de customizações feitas por clientes nas ruas. Seus detalhes em customização e sofisticação dão um toque extra de ousadia nada comum nos sedãs.

Na dianteira, destaque para gravata Chevrolet com fundo preto e pela moldura em cromo escurecido da barra que divide as duas entradas de ar do motor turbo. A grade com elementos estéticos internos alusivos à tecnologia é própria do sedã. Faróis com máscara negra com luz de condução diurna em LED e luzes auxiliares tipo canhão completam o conjunto.

Na lateral, as rodas aro 17 em dois tons mesclam pela primeira vez o preto com o cromado. Um filete do mesmo metal faz a harmonização com as maçanetas. Já o logo Midnight fica na parte inferior da porta dianteira, alinhado com os retrovisores externos.

Equipamentos

O Chevrolet Cruze Midnight 2022 traz equipamentos de comodidade que são muito apreciados valorizados pelos consumidores de sedãs médios.

Dentre eles estão o revestimento premium dos bancos e painel, ar-condicionado com controle eletrônico de temperatura mais sistema automático de recirculação, partida por botão, chave eletrônica para travamento e destravamento das portas e da tampa traseira com sensor de aproximação.

Na lista estão ainda a regulagem de altura dos faróis, sensor de estacionamento traseiro, controlador de velocidade de cruzeiro e limitador de velocidade.

Em relação ao pacote de itens de segurança, o modelo traz airbag frontal, lateral e de cortina, aviso sonoro para utilização do cinto de segurança em todos os assentos, cintos de segurança dianteiros com pré-tensionadores e controle eletrônico de estabilidade e tração com a função de assistente de partida em aclive.

Ficha Técnica: Chevrolet Cruze Midnight

Motor: 1.4, turbo, flex, quatro cilindros em linha, turbo, injeção direta
Cilindrada: 1399 cm3
Potência:
150 cv (G) 153 cv (E) a 5.200 rpm
Torque:
24 kgfm (G) e 24,5 kgfm (E) a 2.000 rpm
Transmissão:
Automático de seis marchas, tração dianteira
Direção: Elétrica
Suspensão: Independente McPherson na dianteira e eixo de torção na traseira
Tração: Dianteira
Freios: Discos ventilados dianteiros e discos sólidos traseiros
Pneus: 215/50 R17
Dimensões: 4,67 m (comprimento), 1,81 m (largura), 1,48 m (altura) e 2,70 m (entre-eixos)
Tanque : 52 litros
Porta-malas: 440 litros
Peso: 1.310 kg
0-100 km/h: 9s



Comentários