Economia

Dólar não abala interesse de brasileiros no mercado americano

Da Redação, com assessoria

diario da manha

Feira direcionada para imóveis, em Orlando, movimentou US$ 10 milhões, em 2014. Em contrapartida, neste ano, o resultado foi de US$ 32 milhões. Nem a alta do dólar, que este ano atingiu a maior cotação dos últimos 12 anos, tem diminuído o interesse dos brasileiros pelos Estados Unidos, principalmente dos que planejam comprar casas em Orlando.

Segundo dados, cidades como Orlando e Miami continuam sendo um atrativo para investidores imobiliários do Brasil. A edição 2015 da feira especializada focada em imóveis, realizada em março, bateu seu recorde de público, com 2,5 mil participantes, e registrou um aumento significativo no volume de negócios que resultou em um valor três vezes maior do que no ano passado.

A diferença não é pequena, pelo contrário, é bem significativa e reflete o cenário econômico atual. Enquanto em março de 2014, com o dólar a aproximadamente R$ 2,30, a feira movimentou US$ 10 milhões, neste ano, com o dólar a R$ 3,23, o resultado foi de US$ 32 milhões.

O perfil destes compradores pode ser dividido em dois grupos: jovens casais, entre 35 e 40 anos, que têm filhos pequenos ou planejam ter em breve e pretendem educá-los nos Estados Unidos e o de pessoas que trabalharam durante muito e conquistaram sua estabilidade financeira.

Uma outra parcela de público, a qual a valorização do câmbio acaba sendo uma vantagem, são os liberais. Segundo a Viphomes em parceria com o CEO do grupo Casa na Disney, Ricardo Molina, brasileiros e os latino-americanos, em geral, estão investindo na Flórida porque acreditam no modelo de gestão norte-americano, o oposto que está sendo colocado em prática em seus países de origem. “Essas pessoas buscam estabilidade monetária, mercado livre e regulamentado, crescimento econômico, segurança e qualidade de vida”, acredita o empresário.

“Quase sem exceção, os proprietários de casas em Orlando planejam também morar temporariamente ou definitivamente nos imóveis que compraram. Muitos clientes, logo depois que se ambientam em Orlando ou Miami, já começam a buscar alternativas de imigração. Nos últimos dois anos, encaminhamos cerca de 20 pedidos de visto EB-5 que garantem o green card para investidores brasileiros. É um número bastante significativo”, conta Molina.

Comentários

Mais de Economia