Economia

Inflação: Goiânia registra maior índice do País

O protagonista deste índice é o grupo de transportes, onde a gasolina registrou IPCA de 2,8% em setembro

diario da manha
Foto/Reprodução

Goiânia registrou a maior inflação do País no mês de setembro, segundo o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), divulgado na última quarta-feira (9/10) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE). O índice registrado foi de 0,41% para a capital, enquanto isso, o País registrou deflação de -0,04%, a primeira taxa negativa do ano, que é também o menor resultado para o mês desde 1998.

Segundo o levantamento feito pelo IBGE, o protagonista deste índice é o grupo de transportes, onde a gasolina registrou IPCA de 2,8% em setembro, etanol apresentou alta de 5,83% e o óleo diesel de 1,99%, com isso, a gasolina e o etanol em Goiânia obtiveram as maiores altas das regiões brasileiras pesquisadas pelo instituto. O maior crescimento para setembro desde 2008.

Outros vilões da inflação

Apesar do grupo de transportes ter influenciado na alta da inflação, a parte de alimentação e bebidas também pesou no bolso dos cidadãos da capital, até mesmo mais do que para outros consumidores no País. Após registrar uma queda entre julho e agosto, este grupo registrou um aumento de 0,33% em setembro.

Os destaques são para óleo de soja com 6,58% , banana-maçã com 5,08% e abacaxi com 4,82%. Os que mais impactam no orçamento das famílias e tiveram alta foram refeição com 0,13% , lanche com 1,17% , leite longa vida com 2,43%, arroz com 1,83% e o pão francês com 1,36%.

Entretanto, outro grupo que também fez com que a inflação em Goiânia tivesse uma alta foi o dos cuidados pessoais que atingiu índice de 1,03%, a maior dos últimos 40 meses. Os destaques para esse grupo foram para artigos de maquiagem com 9,74% e perfume com 5,15%.

Histórico dos índices

Até o penúltimo mês investigado pelo IBGE, ou seja agosto, Goiânia tinha a menor inflação acumulada do ano entre os locais investigados pelo IBGE. No entanto, em setembro, o acumulado de 2019 atingiu 2,13%, que é o quinto menor índice dentre as capitais ou regiões metropolitanas.

Comentários

Mais de Economia